Guga perde pela 4ª vez na estréia

Ainda não foi desta vez que Gustavo Kuerten conseguiu afugentar a má fase. Com outra atuação irregular, Guga perdeu, nesta quarta-feira, na estréia do ATP Tour da Basiléia, na Suíça, para o francês Julien Boutter, número 64 do ranking, por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (7/3) e 6/2. Com este resultado, o tenista número 1 do mundo amarga sua 5.ª derrota consecutiva, a quarta numa primeira rodada e a terceira da temporada européia indoors, de superfície de carpete. Sem o necessário ritmo e confiança nos golpes numa superfície que não é a sua preferida, Guga mostrou-se intranqüilo logo na estréia. O primeiro set foi bastante equilibrado. Guga teve três chances de quebrar o serviço do adversário e, como não conseguiu, a decisão foi para o tiebreaker, em que perdeu por 7 a 3.Mesmo abalado com a derrota parcial, Guga deixou a impressão de que poderia reagir. Conseguiu quebrar o serviço do adversário para colocar-se em vantagem de 2 a 1. Mas, logo a seguir, acabou cedendo o seu e, depois disso, foi dominado pela intranqüilidade. Não conseguiu vencer mais um game sequer. Desde setembro, quando caiu nas quartas-de-final do US Open para o russo Yevgeny Kafelnikov, Guga não vence. Jogou ainda na Costa do Saiupe, mas cansado e sem mínimas condições de suportar o calor da Bahia, perdeu na primeira rodada para Flávio Saretta. Depois iniciou um período de recuperação física e treinamentos, durante 28 dias em Florianópolis e Camboriú.A temporada de quadras cobertas começou com a derrota em Lyon, para Ivan Lujbicic, seguindo-se de outras decepções no Masters Series de Stuttgart, caiu diante de Max Mirnyi e agora perde para Julien Boutter. Sem os resultados esperados, a intranqüilidade parece ser agora o maior inimigo de Guga. A necessidade de ganhar ritmo e recuperar a confiança em seus golpes ajuda a tirá-lo de seu estado normal. Ainda mais jogando numa quadra em que os pontos são decididos em pequenos detalhes, como voleios bem colocados, ou um melhor aproveitamento de serviço. Diante de Bouttier, Guga cometeu vários erros não forçados e não teve o habitual aproveitamento de primeiro serviço, com média abaixo dos 50%.A esperança da reabilitação vai agora para Paris, um torneio do Masters Series, a partir da semana que vem, em que Guga alcançou as semifinais do ano passado. Depois vai seguir direto para o Master Cup, em Sydney, na tentativa de repetir a façanha de 2000, em que foi campeão e terminou a temporada como número 1 do mundo.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2001 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.