Guga quer vingança contra Norman

Depois de ouvir muito falatório sobre a sua má fase, o que Gustavo Kuerten mais quer agora é uma boa semana no Brasil Open, na Costa do Sauípe. E o brasileiro começa nesta terça-feira a defesa do título com sede de vingança: enfrenta o sueco Magnus Norman, às 20 horas, com transmissão da SporTV. Ao perder para ele em plena temporada européia de quadras de saibro, no Masters Series de Montecarlo, em abril, Guga não conseguiu mais impor o seu velho jogo até agora."Estava vencendo aquele jogo por 6/1 e 5/2 e, de repente, perdi por 1/6, 7/5 e 6/2", lembrou Guga. "Agora não quero deixar escapar as oportunidades."Uma boa campanha esta semana na Costa do Sauípe transformou-se em ponto de honra para Guga. O tenista afastou qualquer possibilidade de deixar de trabalhar ao lado de Larri Passos, também garantiu que se sente feliz mesmo fora da briga pela liderança do ranking e reconheceu que precisa ganhar explosão, ficar mais rápido em quadra.Agora, resta provar que pode ir longe, num clima amplamente favorável, com torcida fanática acompanhando até seus treinos, além dos muitos incentivos e a presença de toda a família na Bahia. Enfim, tudo do jeito que Guga gosta.O dia na Costa do Sauípe promete emoções de sobra. Flávio Saretta dá início a sua missão nesta terça-feira: quer conquistar o primeiro título de um ATP Tour no Brasil e estréia diante do gaúcho Marcos Daniel, provavelmente a partir das 18 horas.Mais um - O tênis brasileiro ganhou também o 7º representante na chave principal, com Júlio Silva, que venceu o australiano Johan Kerr por 2/6, 7/5 e 6/0, passou pelo qualifying e vai estrear diante do austríaco Warner Eschalier. Enquanto isso, Franco Ferreiro pega o dinamarquês Kenneth Carlsen e Ricardo Mello joga com o chileno Paul Capdeville.Além desses jogadores, o Brasil ganhou o reforço de Josh Goffi, tenista universitário norte-americano, nascido em Bertioga e filho do ex-técnico de John McEnroe, Carlos Goffi. Josh não fala português com fluência, mas quer defender o Brasil, depois de ter terminado a universidade e estar disposto a dedicar-se exclusivamente ao tênis profissional. Sonha até em integrar a equipe brasileira da Copa Davis. Mas, nesta segunda-feira, Josh Goffi não deu sorte e perdeu na última rodada do qualifying da Costa do Sauípe, ao levar 7/6 e 7/5 do chileno Paul Capdeville.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.