Guga ressalta garra e reclama do calor

O próprio Gustavo Kuerten não teve dúvidas em definir: " foi uma vitória da garra". Só mesmo assim para explicar que, depois de tomar um grande susto, ao perder o primeiro set por 6 a 0, em apenas 20 minutos, Guga conseguiu virar o jogo e eliminar o argentino Guillermo Cañas por 2 a 1, com parciais de 0/6, 6/1 e 6/2. Agora, o tenista brasileiro enfrenta o espanhol Fernando Vicente, neste sábado às 14 horas, e está a apenas um passo de reconquistar a liderança do ranking mundial. Se vencer e chegar a final da Copa AT&T, em Buenos Aires, rouba o lugar do russo Marat Safin. "Senti muito o calor e a mudança de horário", reclamou Guga que tinha feito as duas partidas anteriores à noite". Tive de colocar muita garra para virar este jogo e o mais importante foi que venci." A situação estava mesmo difícil para Guga em seu primeiro jogo em Buenos Aires, com um adversário argentino. A torcida esteve, ainda assim, um pouco dividida, com muitos aplaudindo as boas jogadas do brasileiro. No começo, porém, Guga quase não mostrou boas jogadas. Esteve apático. Sentiu muito o calor e teve enormes dificuldades para colocar seu golpes preferidos de fundo de quadra. Só no início do segundo set, iniciou sua reação. Lutou com garra e determinação pelos pontos até conseguir dominar o adversário e soltar-se um pouco mais para celebrar uma vitória muito importante, nesta época do ano. "Esta vitória determina a minha primeira semifinal deste ano e acho que as coisas agora começaram a dar certo", festejou Guga. Agora, diante do espanhol Fernando Vicente, número 36 do ranking mundial (e que passou para a semifinal ao derrotar o austríaco Markus Hipl por 6/4 e desistência), Guga não quer deixar escapar a oportunidade de conquistar, em Buenos Aires, a liderança do ranking mundial. Já enfrentou o espanhol por quatro vezes e venceu três. Sabe o que precisa fazer para buscar outra vitória. "O Vicente é um jogador que vai passar bastante a bola, vai me fazer correr ainda mais", disse Guga. "Vou ter de variar bastante meus golpes, voltar a mostrar muita garra para vencer e quem sabe sair com um título daqui de Buenos Aires." Pela vaga nas semifinais, Guga soma 18 pontos para a corrida dos campeões, outros 90 para o ranking mundial e já garante, pelo menos, um cheque de US$ 29 mil. Pneu - Como se diz na gíria do tênis, perder por 6 a 0, é tomar um "pneu" e é uma contagem humilhante. Mas, como aconteceu com Guga nesta sexta-feira, nem sempre determina uma derrota. O brasileiro conseguiu virar este resultado para sair vencedor da quadra. Só que contagens assim, costumam também ser marcantes. A última vez que Guga tomou um 6 a 0 foi no Masters Series de Hamburgo, em 1999, para o espanhol Carlos Moya, que ganhou o jogo em dois sets. Um pouco antes, no mesmo ano, no Masters Series de Indian Wells, Guga perdeu o primeiro set para o russo Yevgeny Kafelnikov, reagiu e ganhou o jogo por 2 a 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.