Guga revive sensações do primeiro título

Roland Garros é realmente especial para Gustavo Kuerten. Afinal, depois de amargar uma das piores fases de sua carreira, ele ressurgiu com ânimo e emoção para ganhar um lugar nas quartas-de-final do torneio em Paris, depois de vencer mais um jogo em três sets. Marcou 6/3, 7/5 e 6/4 no espanhol Feliciano Lopez, nesta segunda-feira, em apenas 1h57 de jogo. O forte grito de "vamos" no final mostrou a nova cara de Guga: revelou que ele está na briga por um título de Grand Slam, relembrando a façanha de sete anos atrás."A cada dia, a cada vitória, estou vivendo um sonho", afirmou Guga. "É como se fosse em 1997, como a primeira vez em que cheguei às quartas-de-final. Afinal, se olhar para trás, não poderia pensar em chegar em Roland Garros e ir tão longe."Se as perspectivas eram remotas neste ano, Guga vive agora uma certeza em Roland Garros. Está em seu melhor momento depois da cirurgia no quadril, realizada há dois anos. "Chegar às semifinais seria um grande sonho", admitiu.Para alcançar mais este sonho, Guga terá de passar pelo forte argentino David Nalbandian. Mas confia no seu jogo e, especialmente, na sua maior experiência. "Tenho agora mais consciência das minhas virtudes e dos meus problemas", contou. "Sei bem dos atalhos que posso tomar para chegar a um bom resultado." Estes ?atalhos? Guga vem usando com eficiência. Até agora, não se desgastou muito para chegar às quartas-de-final. Apesar de no primeiro jogo ter disputado cinco sets, em 3h07, ficou praticamente duas séries sem correr muito, apenas se poupando para dar o bote final sobre o espanhol Nicolas Almagro.Depois, diante do belga Gilles Elsenner, o brasileiro venceu em 1h28. Em seguida, passou pelo suíço Roger Federer em 2h03. E agora, eliminou Feliciano Lopez em 1h52 de jogo. No total, ficou 8h30 em quadra. Em Roland Garros, existe uma lenda: são necessários 30 horas para se ganhar o título. Se Guga continuar no seu caminho rápido, poderá contrariar a tradição, nestas três partidas que ainda faltariam para o tetracampeonato."Não quero ficar pensando em título ainda", avisou Guga. "Para mim não seria bom mudar o meu foco. Acho que tenho de pensar jogo a jogo. Está dando certo assim."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.