Guga rompe com Larri Passos

Larri Passos não é mais técnico do tenista Gustavo Kuerten. O anúncio foi feito nesta segunda-feira. Foram cerca de 15 anos em que o jogador chegou a chamar Larri de segundo pai. Juntos, conquistaram 20 títulos de simples (três deles em Roland Garros) e oito de duplas. Depois de vencer o Masters de Lisboa, em 2000, o tenista ficou 43 semanas como número 1 do mundo, feito jamais conseguido pelo esporte no País. Neste período, Guga juntou cerca de US$ 14,6 milhões em prêmios.Com o fim da parceria, Guga quer dar início a uma nova era na sua carreira. Com 28 anos, ao final de uma longa recuperação de sua segunda cirurgia, o tenista quer experimentar um caminho diferente. Vai viajar sem técnico, assim como fez por todo o ano passado, o número 1 do mundo, o suíço Roger Federer.O anúncio do fim de parceria foi feito no final da tarde desta segunda. Mas desde a cirurgia realizada em 21 de setembro, em Pittsburgo, nos Estados Unidos, o técnico Larri Passos tinha perdido espaço. Tanto é que queria antecipar a volta do tenista ao circuito, mas Guga não deu ouvidos e preferiu manter o plano de só jogar a partir de 4 de abril, no ATP Tour de Valência. Além disso, o treinador não participou do processo de recuperação, como havia acontecido na primeira cirurgia. Sua participação estaria reduzida apenas aos treinos em quadra, sem palpites em fisioterapia, calendário e outras decisões. Foi a gota d´água.Guga viaja dia 31 para Valência, com uma equipe diferente, sem técnico, mas provavelmente com a namorada Letícia, e também da fisioterapeuta Mariângela. O tenista garante que não perdeu a ambição. Garantiu que vai lutar pelas primeiras colocações no ranking. "Se fosse para ficar entre os 20, não precisaria ter feito a segunda cirurgia", afirmou Guga, recentemente no Brasil Open, no Sauípe.Mas, por outro lado, o tenista não vai se impor pressão, como gosta e é o estilo de Larri. Vai escolher bem seus torneios e irá mesmo defender o Brasil na Copa Davis, apesar da fragilidade do adversário, as Antilhas Holandesas. Só que o novo Guga agora não quer perder a oportunidade de jogar no Caribe e estar ao lado do time brasileiro.Neste novo momento, Guga, porém, não deixa de reconhecer a eficiência e a importância de Larri no sucesso de sua carreira.Em nota oficial revelou toda sua admiração pelo ex-técnico."Foram 15 anos de muitas conquistas no circuito e só tenho a agradecer por ter tido o Larri ao meu lado. Mas depois de todo esse tempo, senti a vontade de ter uma experiência diferente e viajar sem técnico", afirmou Guga. "Com certeza, no começo, vou sentir muito a falta do Larri, vai ser uma coisa nova. Mas, mesmo não tendo ele ao meu lado, tudo o que eu fizer vai ter a mão dele, pois foi quem me descobriu e me fez um jogador. E apesar de não termos mais um relacionamento profissional, o carinho e a amizade vão existir sempre, porque o Larri é como um pai para mim e tomara que a gente continue a ter sucesso, cada um no seu caminho".As declarações de Larri seguiram no mesmo tom amigável. O treinador disse que vai continuar no tênis competitivo e cuidando de seu projeto social, "Criança Feliz no Tênis, Feliz na Escola". "Foram 15 anos maravilhosos. Para mim o tênis é uma religião e vou continuar trabalhando nisso. Aceitei a decisão do Guga e acho que ele está maduro para seguir o próprio caminho."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.