Guga sente provocação pró-Hewitt

Líder do ranking mundial e com boas perspectivas de encerrar a temporada como número 1 do mundo, Gustavo Kuerten chegou a Sydney para participar do Master Cup, de 12 a 18, diante de um clima de certa provocação. Primeiro ficou por mais de uma hora na alfândega e depois ainda teve de ouvir muitas insinuações sobre o favoritismo de Lleyton Hewitt, que joga em casa e ameaça roubar a liderança do brasileiro. "Viajei por mais de 30 horas e na chegada ainda tive de ficar por mais de uma hora na alfândega", disse Guga, que entre ironias e insinuações ouviu que os agentes alfandegarios seriam torcedores de Hewitt. Guga deu de ombros para as provocações e preferiu falar de suas expectativas. "Espero jogar bem esta semana", contou. "É o último torneio do ano e quero dar tudo de mim, toda a energia para aproveitar esta oportunidade de manter a posição de número 1." Com 48 pontos à frente de Hewitt, Guga estará brigando diretamente com o australiano pela liderança, que promete muita luta. "Costumo jogar muito bem em casa", disse Hewitt. Amanhã Guga também conhecerá seus adversários na primeira fase da competição, através de sorteio, que definirá os dois grupos da competição com US$ 3,7 milhões em prêmios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.