Guga testa fama em Time Square

A vitória de Gustavo Kuerten no Masters Series de Cincinnati pode tornar Guga, um nome famoso também nos Estados Unidos. Dificilmente esportistas estrangeiros costumam gozar de igual prestígio aos "born in USA", os nacidos norte-americanos. Carismático e vencedor, o tenista brasileiro vai testar sua fama num dos mais conhecidos cartões postais de Nova York, a Time Square. No dia 24, às vésperas do início do US Open, o maior torneio de tênis dos Estados Unidos, quarto e último Grand Slam da temporada, jogado nas quadras de Queen´s, em Flushing Meadows, Guga terá um termômetro de sua popularidade entre os norte-americanos. Vai participar de um show em Time Square ao lado de um dos maiores nomes do tênis dos Estados Unidos, Andre Agassi. A festa é uma promoção das raquetes Head, que vai reunir num programa de televisão os três ganhadores de Grand Slam deste ano: Andre Agassi, na Austrália; Guga, em Roland Garros; e o croata Goran Ivanisevic, em Wimbledon. Todos usam a mesma marca de equipamento. Entusiasmado com este novo momento de Guga, o seu agente internacional, Jorge Salkeld, um experiente homem do mundo do tênis, que vive em Paris e trabalha para a Octagon com vários tenistas famosos (como Anna Kournikova, por exemplo), está certo que o tenista brasileiro atingiu "uma nova dimensão" no mercado norte-americano. "Muita gente ainda duvidava da capacidade de Guga conseguir vencer nas quadras rápidas dos Estados Unidos", contou Salkeld. "Já sabia que isso era possível, pois ano passado venceu o Masters Cup de Lisboa, no carpete, ganhou também o título de Indianápolis e chegou a final de Key Biscayne, mas agora o Guga entra em outra dimensão." O próprio Salkeld lembra que recentemente a imprensa norte-americana referiu-se a Guga como um jogador limitado às quadras de saibro. Por isso, concorda que o título em Cincinnati foi muito importante para mudar a opinião de muitas pessoas e, especialmente, ganhar respeito nos Estados Unidos. "O Guga tem tudo para ser famoso também entre os norte-americanos", diz Salkeld, "É um tenista muito simpático e eu já tenho recebido uma série de e mails e mensagens de fãs do brasileiro nos Estados Unidos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.