Guga vence e vai às quartas-de-final

A vitória relativamente tranqüila sobre o espanhol Albert Costa por 3 sets a 0, parciais de 6/4, 6/4 e 7/6 (9/7), foi o melhor remédio para Gustavo Kuerten recuperar-se definitivamente do desgaste do jogo anterior, com Max Mirnyi, e também ganhar o ritmo que gosta para chegar às quartas-de-final com a dose certa de confiança em seu jogo. Na próxima partida, nesta quinta-feira, Guga enfrentará o russo Yevgeny Kafelnikov, que já se transformou numa espécie de amuleto para o brasileiro. Afinal, nas duas vezes que venceu o russo nas quartas-de-final de Roland Garros, conquistou o título. O mesmo aconteceu na recente campanha vitoriosa do Masters Series de Cincinnati. "Estou bem satisfeito com este resultado, acho que as coisas andaram bem", disse Guga logo depois da partida. "Espero continuar assim por mais alguns jogos, pois sempre costuma me tornar mais perigoso a partir das quartas-de-final." Diante de Albert Costa, Guga fez um jogo perfeito para garantir a vitória em três sets e igualar sua melhor campanha do US Open. Em 1999 também esteve nas quartas-de-final e acabou perdendo para o francês Cedric Pioline em um jogo memorável. Guga começou a partida contra o espanhol já procurando impor seu melhor tênis desde os primeiros pontos. Saiu quebrando o serviço do adversário para abrir vantagem de 2 a 0. De repente, descuidou-se um pouco e abriu a chance de reação para o tenista espanhol, que empatou por 2 a 2. Bastou mais quatro games para o número 1 do mundo recuperar o controle da partida. Quebrou novamente o saque de Costa e serviu para o set com 5 a 4 para fechar a série em 6/4 em apenas 34 minutos. No segundo set, a história começou igual e terminou melhor ainda para Guga. Saiu quebrando o serviço de Costa e manteve a vantagem até garantir a vitória, outra vez por 6/4. O equilíbrio retomou no terceiro set, até que Guga conseguiu uma vantagem com quebra de serviço e definir sua vitória em três sets. Vai assim, ter um tempo maior de recuperação para seu próximo jogo, nas quartas-de-final.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.