Guga volta ao Brasil para treinar

Só resta agora mais um torneio oficial para Gustavo Kuerten encerrar a temporada de 2002: o Masters Series de Paris, a partir do dia 28, no Palais Ominsport de Bercy. Com tempo suficiente para descansar, recuperar o físico e fazer uma boa preparação, Guga decidiu voltar ao Brasil a ficar por quase duas semanas na Europa.Guga ainda espera oficialização de uma vaga na chave principal de Paris. Pelo seu ranking na data em que as inscrições fecharam, o tenista brasileiro está um fora da lista. Ou seja, precisa aguardar a desistência de qualquer jogador à sua frente na classificação para ganhar a vaga. Mesmo que isso não aconteça, o que é pouco provável, a organização do torneio já acenou com um wild card, convite, o que garantiria sua participação no evento. Na verdade é tudo uma questão de tempo. Os organizadores não querem queimar um convite agora, que pode ser prescindível dentro de alguns dias.Em Madri, o tailandês Paradorn Srichaphan, responsável pela eliminação de Guga, fez mais uma vítima nesta quarta-feira. Derrotou o inglês Tim Henman por 2 sets a 1, parciais de 3/6, 6/3 e 6/3. Henman só chegou a Espanha poucas horas antes do jogo, pois estava em Londres acompanhando o nascimento de seu filho. O inglês queria muito ganhar mais alguns pontos em Madri para assegurar vaga no Masters Cup de Xangai.Outro dos favoritos já eliminado da competição é o russo Marat Safin, que perdeu para o argentino Agustin Calleri por 6/3 e 6/4. O tenista russo deixou a quadra dizendo-se envergonhado com sua péssima campanha. Ele também luta por uma das oito vagas de Xangai, mas com a terceira colocação na corrida dos campeões, não deve ter problemas para garantir um lugar no Masters Cup.Em outros jogos do torneio, o alemão Tommy Haas nem sequer terminou seu jogo diante do francês Fabrice Santoro. Sentiu uma contusão quando perdia por 7/6 (9/7) e 4/1 e desistiu da partida. Haas também luta por vaga em Xangai.Entre os principais favoritos ao título e já garantido em Xangai, Andre Agassi eliminou seu compatriota Jan-Michael Gambill por 6/4 e 6/4, enquanto Thomas Johansson ganhou de Magnus Norman por 2/6, 6/3 e 6/4; Ivan Ljubicic de Sjeng Schalken por 7/6 (11/9) e 6/4, Roger Federer de Marcelo Ríos por 6/4 e 6/2; e David Nalbandian de Guillermo Cañas por 4/6, 6/3 e 6/3.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2002 | 18h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.