Hewitt bate Sampras e ganha US OPen

O explosivo Lleyton Hewitt, conhecido pelos seus provocativos gritos de "come on" - vamos - agora já faz parte dos grandes jogadores da história, com a conquista do US Open de 2001. Numa final bem mais fácil do que se esperava, diante de 23 mil pessoas no estádio Arthur Ashe, em Flushing Meadows, em Nova York, o tenista australiano de 20 anos, derrotou o norte-americano Pete Sampras por 3 sets a 0, parciais humilhantes de 7/6 (7/4), 6/1 e 6/1.Pelo troféu, o mais importante de toda sua vida, embolsou um prêmio de US$ 850 mil e ainda irá ocupar a 3ª posição na corrida dos campeões, já também garantindo vaga entre os oitos melhores do ano na Masters Cup, em novembro, em Sydney.Até que pela importância do título em Nova York, a comemoração de Hewitt foi discreta. Como de costume, caiu de costas ao fim do match point, mas comportou-se bem durante toda a partida, talvez temendo despertar uma torcida contra. Durante os 15 dias de torneio, este tenista australiano passou por muitas dificuldades e polêmicas.Os mais difíceis obstáculos vieram diante de dois norte-americanos. O primeiro foi James Blake, ainda na segunda rodada, num jogo decidido em cinco sets e que levou Hewitt a ser acusado de racista por insinuar que seu adversário estava sendo favorecido pelas marcações de um juiz de linha, negro como Blake.Depois, nas quartas-de-final, outro desafio enorme: Andy Roddick, em jogo que também venceu em cinco sets. Por curiosidade, as partidas mais fáceis vieram mesmo nas semifinais, três sets com Yevgeny Kafelnikov, cedendo apenas quatro games, e a final diante de Sampras, que só colocou resistência no primeiro set. Depois, limitou-se a devolver bolas, sem a mesma agilidade e eficiência que o levaram a ganhar 13 títulos de Grand Slam."Gostaria de ter pernas rápidas e ágeis como as de Hewitt", lamentou Sampras, hoje com 30 anos, que como consolo pelo vice-campeonato ganhou um cheque de US$ 450 mil e passará a ocupar a 7ª colocação na corrida dos campeões.Sampras experimentou o seu próprio veneno nesta final. Em 1990 transformou-se no jogador mais novo da história do US Open ao conquistar o título com apenas 19 anos. Hewitt, com 20, mostrou que a juventude e energia podem fazer a diferença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.