Hewitt deve abrir vantagem sobre Guga

A decepcionante campanha no Masters Cup de Sydney pode custar caro para Gustavo Kuerten. Nesta segunda-feira, o brasileiro perdeu oficialmente a liderança do ranking mundial para o australiano Lleyton Hewitt e deverá distanciar-se ainda mais da posição de número 1, caso confirme a tendência de não participar dos torneios que abrem a temporada de 2002, os ATP Tours de Sydney, Doha e Auckland e também do primeiro Grand Slam do ano, o Aberto da Austrália, em Melbourne. Com volta prevista apenas para fevereiro e, ainda assim, na Copa Davis - que não vale pontos -, Guga deve ver Hewitt abrir vantagem.Hoje, os dez primeiros colocados dos dois rankings da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) estão unificados, com a corrida dos campeões apresentando a mesma classificação da lista de entradas. Só que a corrida terminou no Masters de Sydney e só recomeça em janeiro, enquanto o ranking mundial vai manter-se como referência para designação de cabeças-de-chave e determinar os jogadores com direito a entrar nas competições.Com Guga fora das quadras, em janeiro a corrida dos campeões começará mostrando novos nomes, enquanto o brasileiro só deverá iniciar sua luta pelas primeiras colocações em março. Para sua sorte, na lista de entradas ele não tem muitos pontos para defender no início da próxima temporada.Campanha - Sem poder mostrar seu verdadeiro jogo em Sydney, por causa de uma antiga contusão, Guga acabou decepcionando justamente num dos torneios mais importantes do ano. Nem mesmo ele, porém, sabia dizer se agiu certo ou errado em não ter parado antes para tratamento. Vinha conseguindo jogar com a lesão e não queria perder outras competições, como os Masters Series de Stuttgart e Paris, para buscar uma recuperação. Agora, Guga espera só voltar às quadras quando estiver completamente recuperado. Apesar destes resultados ruins de seu número 1 no fim da temporada, o tênis brasileiro não pode lamentar. A lista do ranking mundial nesta semana voltou a apresentar quatro jogadores do País entre os 100 primeiros colocados, com Gustavo Kuerten em segundo lugar, Fernando Meligeni em 72º (540 pontos), André Sá em 87º (481) e Alexandre Simoni em 99º (425).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.