Hewitt pega Roddick nas semifinais

Bem dentro do estilo que mais gosta, com raça, vibração e os irritantes gritos de "c´mon", Lleyton Hewitt garantiu a festa da torcida na comemoração do "Australian Day", ao vencer o argentino David Nalbandian por 6/3, 6/2, 1/6, 3/6 e 10/8, em uma partida com mais de quatro horas de duração. É a primeira vez que Hewitt chega as semifinais em Melbourne Park e na próxima rodada enfrenta Andy Roddick, que chega a esta fase da competição descansado. Afinal se Hewitt precisou de cinco sets, o norte americano só de 2 e meio, pois o russo Nikolay Davydendo desistiu do jogo, quando perdia por 6/3, 7/5 e 4/1, com preocupantes dificuldades para respirar. Nesta quinta-feira, será definido o primeiro finalista do masculino, com o jogo que repete a final de 2004 entre Roger Federer e Marat Safin, às 6h30 de Brasília, com transmissão pela ESPN Internacional."Ainda há um longo caminho até o título, mas o importante é que estou na luta", disse Hewitt, enquanto Nalbandian não disfarçava uma insatisfação especialmente pelo clima hostil da torcida e as já tradicionais comemorações do australiano.O "Australian Day" teve fogos, hino nacional e a presença em quadra de nomes como John Newcombe, Patrick Rafter e Pat Cash. Só que o dia não começou bem para os australianos. Alicia Molik, que havia eliminado Venus Williams, caiu diante de Lindsay Davenport, por 6/4, 4/6 e 9/7.Agora, a número 1 do mundo joga por uma vaga na final, diante da veterana francesa Nathalie Dechy, que eliminou a suíça Patty Schnyder por 5/7, 6/1 e 7/5. A outra semifinal do feminino é entre Maria Sharapova e Serena Williams.O dia ainda teve momentos dramáticos em quadra. No terceiro set da partida entre Andy Roddick e Nikolay Davydenko, o tenista russo foi atingido pelo calor próximo dos 35 graus centígrados e apresentou dificuldades para respirar. Usou um inalador para asma, mas não conseguiu continuar em quadra. "Me pareceu um problema sério", disse Roddick. "Fiquei muito preocupado quando o vi usando o inalador para tentar voltar à quadra."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.