Wallace Woon/AFP
Wallace Woon/AFP

Hingis dá adeus às quadras com derrota na semifinal de duplas do Masters da WTA

Ao lado da taiwanesa Yung-Jan Chan, suíça pendura a raquete com 43 títulos de simples e 64 de duplas

Estadão Conteúdo

28 Outubro 2017 | 11h31

Martina Hingis, ex-líder do ranking mundial de simples feminino, deu o seu último adeus ao tênis profissional neste sábado. A suíça de 37 anos de idade, que já havia adiado a sua aposentadoria por duas vezes em outras ocasiões, agora encerrou de vez a sua trajetória nas quadras ao ser eliminada na semifinal de duplas do Masters da WTA, torneio que reúne as melhores jogadoras da temporada em Cingapura.

+ Federer leva susto, mas derrota francês na Basiléia

Atuando ao lado da taiwanesa Yung-Jan Chan, Hingis foi derrotada pela parceria formada pela húngara Timea Babos e a checa Andrea Hlavackova por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6 (7/5), e não conseguiu justificar a condição de cabeça de chave número 1 desta disputa da importante competição.

A lendária tenista suíça, que conquistou 43 títulos de simples e 64 de duplas ao longo de sua carreira, havia anunciado na última quinta-feira que iria se aposentar das quadras ao término de sua participação neste Masters da WTA.

E, mesmo com a derrota nesta semifinal, a veterana jogadora afirmou que pendura de vez a raquete plenamente satisfeita com os feitos que conquistou. Só nesta temporada, ostentando a condição de líder do ranking de duplistas da WTA, ela ganhou nove títulos ao lado de Chan.

"Eu acho que foi uma maravilhosa jornada e uma maravilhosa carreira, da qual eu posso ficar orgulhosa", afirmou Hingis depois da derrota deste sábado, quando também admitiu que deverá seguir ligada ao tênis, mas não mais como jogadora. "Este não é realmente um adeus. Espero continuar a fazer parte deste jogo", revelou a suíça, que ainda reconheceu que existe a possibilidade de auxiliar Chan como uma "parceira de treinos" na próxima temporada.

Hingis, porém, não deixou de lamentar a derrota deste sábado, pois esperava poder terminar a sua brilhante carreira com mais um título na final de duplas do Masters neste domingo. "É uma pena terminar um torneio assim, nós duas esperávamos um final melhor, quem sabe com o título. Mas hoje elas (Babos e Hlavackova) foram boas demais para nós", reconheceu a suíça, que terá ao menos como consolo o fato de que fechará essa temporada como número 1 do ranking de duplas, independentemente de quem fique com o título da competição em Cingapura.

CARREIRA

Vencedora, Hingis foi uma das seis jogadoras da história a conseguir se manter no primeiro lugar do ranking como jogadora de simples e como duplista. Em 2017, a suíça conquistou, com Chan, o seu nono título do US Open, Grand Slam realizado em Nova York onde também triunfou nas duplas mistas atuando ao lado do britânico Jamie Murray.

Para completar, ela faturou também neste ano os troféus de Wimbledon ao lado da taiwanesa e acumulou as taças de campeã em Maiorca, Indian Wells, Madri, Roma, Eastbourne, Cincinnati, Wuhan e Pequim. Ao total, Hingis acumulou 25 títulos de Grand Slam em sua carreira, sendo cinco deles de simples e 20 de duplas.

A primeira vez que Hingis se aposentou foi em 2003, então por causa de uma série de lesões. Ela retornou às quadras três anos depois, mas, em 2007, durante o Grand Slam de Wimbledon, um exame antidoping testou positivo para uso de cocaína. Mesmo aposentada, a atleta foi punida com dois anos de suspensão. Em 2013, a ex-número 1 do mundo voltou apenas para competir nas duplas. Desde então, ela conquistou muitos títulos, entre os quais dez de Grand Slam.

Mais conteúdo sobre:
tênis Martina Hingis

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.