Hingis volta a ser campeã em Wimbledon e repete feito de 1999 em Grand Slams

Martina Hingis voltou a ser campeã em Wimbledon 17 anos depois. A tenista suíça, ex-número 1 do mundo e integrante do Hall da Fama do Tênis, venceu, ao lado da indiana Sania Mirza, o torneio de duplas femininas neste sábado na grama sagrada e repetiu o feito de 1999, quando garantiu dois títulos de Grand Slam na mesma temporada, ao vencer o torneio de simples e de duplas do Aberto da Austrália, ao lado da russa Anna Kournikova. Hingis já venceu neste ano o título de duplas mistas do Aberto da Austrália, ao lado do indiano Leander Paes.

Estadão Conteúdo

11 de julho de 2015 | 18h17

Neste sábado, a dupla cabeça de chave número 1, composta por Hingis, de 34 anos, e Mirza, a primeira indiana a liderar um ranking do tênis, bateu a dupla cabeça de chave número 2, formada pelas russas Ekaterina Makarova e Elena Vesnina por 2 sets a 1, parciais de 5/7, 7/6(4) e 7/5.

Além do título em duplas, Hingis pode vencer a decisão de duplas mistas neste domingo, em parceira com o indiano Leander Paes. Eles derrotaram na semifinal os norte-americanos Mike Bryan e Bethanie Mattek-Sands por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4, e encaram agora na final a dupla Alexander Peya, da Áustria, e Timea Babos, da Hungria.

Dezessete anos atrás, Hingis foi campeã de duplas em Wimbledon com a checa Jana Novotna. Naquela temporada, a suíça faturou os títulos dos quatro torneios do Grand Slam, com a croata Mirjana Lucic-Baroni no Aberto da Austrália e Novotna nos outros três. Ela, porém, nunca foi campeã de duplas mistas em Wimbledon.

Hingis, que venceu cinco torneios do Grand Slam em simples nos anos 1990, deixou as quadras em 2002 por causa de lesões, retornando ao circuito em 2006. A suíça anunciou a sua aposentadoria em 2007, quando foi suspensa por dois anos após dar positivo para cocaína em exame antidoping em Wimbledon.

A estrela suíça retornou mais uma vez ao tênis, inicialmente como técnica. Depois, começou a jogar torneios de duplas e vem tendo muito sucesso em parceria com Mirza. Agora está muito próxima de conquistar dois títulos em Wimbledon.

DERROTA DE IRMÃO DE MURRAY - A edição deste ano de Wimbledon não foi favorável para a família Murray. Depois da eliminação de Andy Murray na semifinal de sexta-feira contra Roger Federer, o irmão mais velho Jamie e seu parceiro australiano John Peers deixaram escapar o troféu de duplas, ao serem batidos neste sábado pela dupla formada pelo holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau, por 3 sets a 0, parciais de 7/6 (7-5), 6/4 e 6/4. Andy assistiu ao jogo da tribuna e foi muito aplaudido pelo público.

Murray, que conquistou o título de mistas em Wimbledon há oito anos com Jelena Jankovic, e Peers tiveram três chances de quebra nos primeiros games da partida, mas não aproveitaram a chance. No segundo set, Peers cometeu dupla falta essencial com placar de 4/4 e no terceiro set a quebra definitiva veio no penúltimo game com erros na rede.

O romeno Tecau se mostrou especialmente emocionado com o resultado, já que ele havia perdido outras três finais de Wimbledon anteriormente, em 2010, 2011 e 2012 ao lado do sueco Robert Lindstedt. Junto a Rojer, foi a primeira final desse nível no sétimo torneio que disputam.

Com os 2 mil pontos somados, Rojer e Tecau entram definitivamente na briga por uma das oito vagas no ATP Finals de Londres. Por enquanto, a temporada teve três diferentes campeões de Slam nas duplas, já que os italianos Fabio Fognini e Simone Bolelli faturaram na Austrália e o brasileiro Marcelo Melo, ao lado do croata Ivan Dodig, levaram Roland Garros.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisWimbledonduplas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.