Landon Nordeman/The New York Times
Landon Nordeman/The New York Times

Ícone comercial, Sharapova encerra carreira com R$ 1,4 bilhão em contratos de publicidade

Dona de cinco títulos de Grand Slam, tenista russa foi muitas vezes comparada a uma estrela de Hollywood

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2020 | 09h30

Ao anunciar na quarta-feira a sua aposentadoria, Maria Sharapova, 32 anos, encerrou a carreira mais midiática entre as tenistas da sua geração. Não à toa, a russa foi muitas vezes comparada a uma estrela de Hollywood. As cifras envolvendo Sharapova comprovam que o seu sucesso extrapolou as quadras. Ela ganhou ao longo da carreira US$ 38,7 milhões (R$ 172 milhões) em prêmios pelos títulos conquistados (destaque para os torneios de Grand Slam de Wimbledon em 2004, US Open em 2006, Aberto da Austrália em 2008 e Roland Garros em 2012 e 2014).

De acordo com a revista Forbes, no entanto, os contratos de publicidade lhe renderam mais de 300 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão). Ao longo dos anos, Sharapova se tornou um ícone comercial. Com sua poderosa força promocional, assinou contratos de patrocínio com empresas como Nike, Canon, UBS, Porsche, Head, Evian e Tiffany, entre outras.

Em 2012, a tenista lançou sua própria linha de doces, Sugarpova, e durante sua suspensão por doping, em 2016, ela estudou na prestigiada Harvard Business School. A pena por doping, inclusive, levou a empresa Tag Heuer a suspender as negociações para um novo contrato de publicidade e marcas como Porsche e Nike suspenderam temporariamente as campanhas publicitárias com Sharapova, embora não tenham rompido completamente seus laços com a tenista russa.

"A beleza vende. Sei que, em parte por causa disso, as pessoas me amam e isso está indo bem para mim. Não vou ficar feia expressamente", admitiu Sharapova.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
A beleza vende. Sei que, em parte por causa disso, as pessoas me amam e isso está indo bem para mim. Não vou ficar feia expressamente
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Maria Sharapova, ex-tenista

Mesmo com a queda de rendimento nas últimas temporadas – Sharapova encerrou a carreira no 373.º lugar do ranking mundial –, os acordos comerciais continuaram rendendo frutos para a tenista. Em 2019, apesar de ter ganho em premiação pelos seus resultados em quadra 'apenas' US$ 1 milhão (R$ 4,4 milhões) devido a lesões que só lhe permitiam jogar 18 partidas no ano, ela faturou US$ 6 milhões (R$ 26,7 milhões) em contratos publicitários. Assim, terminou o ano em segundo lugar na lista da Forbes das atletas mais bem pagas do mundo, atrás somente da também tenista Serena Williams.

'Existem dois lados de mim. Tem a Maria, que é tenista, uma garota normal. E tem a Maria que é empresária. É aí que a 'Maria Marca Sharapova' entra em jogo', disse entrevista à agência Associated Press em 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisMaria Sharapova

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.