Christian Hartmann/Reuters
Christian Hartmann/Reuters

Iga Swiatek vence Sofia Kenin, conquista Roland Garros aos 19 anos e faz história

Polonesa, que já havia despachado Simona Halep, triunfa por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/1, em 1h24

Redação, O Estado de S.Paulo

10 de outubro de 2020 | 13h54

Grande sensação de Roland Garros, Iga Swiatek derrotou neste sábado a americana Sofia Kenin, número 6 do mundo, por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/1, em 1h24, e conquistou, aos 19 anos, o título do Grand Slam francês. A jovem polonesa faturou o primeiro torneio deste nível em sua curta carreira profissional e reforçou que seu nome vai ser muito falado nos próximos anos.

Swiatek se tornou uma das cinco tenistas mais jovens a levar o troféu no saibro de Paris e fez história ao conquistar um título inédito em chaves de simples, seja no masculino ou feminino, para seu país em torneios de Grand Slam. Antes, a tenista só havia disputado uma final de WTA, nas quadras de saibro de Lugano, na Suíça, onde ficou com o vice-campeonato no ano passado.

Dessa maneira, ela derruba um tabu, já que apenas jogadores da Polônia de duplas tinham alcançado o feito de serem campeões em Paris. Antes dela, Agnieszka Radwanska havia sido a tenista a chegar mais perto, com o vice-campeonato em Wimbledon, em 2012.

A jovem polonesa construiu uma campanha irretocável em Roland Garros. Ela foi campeã sem perder um set sequer e, ao longo de sua trajetória, deixou pelo caminho nomes de peso como Simona Halep, atual número 2 do mundo, e a própria Sofia Kenin, campeã do Aberto da Austrália neste ano e cabeça de chave número 4 do Grand Slam parisiense.

O resultado vai catapultar Swiatek para o grupo das 20 primeiras do ranking da WTA, o que vai representar o melhor resultado de sua carreira. Ela apareceu no top 100 em abril de 2019, e entrou em Roland Garros neste ano na 54ª colocação. Kenin também tem motivos para celebrar, já que subirá para o quarto lugar e igualará o melhor ranking de sua carreira.

A polonesa já vinha mostrando evolução no circuito profissional desde a última temporada, quando foi às oitavas de final em Paris e deu indícios de que poderia ir ainda mais longe. Neste domingo, ela coroou a campanha perfeita com um jogo em alto nível, repetindo as atuações anteriores. Foi agressiva no fundo da quadra e não deu brechas para a adversária.

No começo, conseguiu uma quebra e abriu 3/0 logo de cara. A americana reagiu e buscou o empate por 3/3 contando com erros da oponente, mas Swiatek mostrou paciência para controlar os pontos, apostou na variação das jogadas e conseguiu uma nova quebra para fechar o set em 6/4.

Kenin sentiu uma lesão na coxa esquerda na segunda parcial e precisou de atendimento médico, chegando a ir aos vestiários. O problema atrapalhou a americana, que ofereceu pouca resistência e levou um passeio da jovem. Ela anotou cinco games seguidos para finalizar com 6/1, ser campeã sem perder uma única parcial e fazer história em Paris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.