Indian Wells já tem status de Grand Slam

Enquanto o tênis brasileiro vive um período turbulento, desde a fatídica troca de treinador da Copa Davis, e o presidente da CBT, Nelson Nastás, já vislumbra a idéia de antecipar as eleições da entidade para julho, como forma de abafar a crise, o melhor do tênis mundial está em Indian Wells. O torneio é o primeiro Masters Series da temporada e alcançou um nível tão alto este ano, que já é considerado quase um Grand Slam.Indian Wells tem um formato dinâmico, com 96 jogadores na chave principal (contra 128 nos torneios do Grand Slam), são dez dias de evento, reunindo as maiores estrelas tanto do lado masculino como feminino.Este ano, em um acordo assinado por cinco anos com a ATP, o Masters Series de Indian Wells ganhou este novo status e igualou-se ao torneio de Key Biscayne, que também é disputado nesta fórmula aperfeiçoada de um Grand Slam, em dez dias de competições, em que os cabeças-de-chave saem uma rodada à frente. Com isso, o pirmeiro fim de semana é super valorizado, com a presença em quadra dos principais astros e no outro fim de semana são realizadas as finais masculina e feminina.O estádio de Indian Wells é também dos mais modernos. Construído no meio do deserto, num destes milagres que só mesmo a força financeira de um país como os Estados Unidos pode realizar, ele é atraente e num nível bem superior aos Masters Series da Europa, muitas vezes disputados em estruturas bem mais modestas.A recompensa está em quadra. Os maiores jogadores do planeta se empenham em boas campanhas. Nas primeiras rodadas, um resultado expressivo. O alemão Tommy Haas conseguiu sua primeira vitória desde outubro de 2002, quando iniciou seu calvário, ao passar por seguidas cirurgias e lesões, além de problemas com a família. Haas ganhou do sueco Tomas Enqvist por 6/4, 3/6 e 6/3.Rafael Nadal, a jovem revelação espanhola, mostrou também sua força em quadras rápidas e estreou com vitória sobre o alemão Lars Burgsmuller por 6/2 e 6/3.No lado feminino, a belga Kim Clijsters iniciou com tranquilidade a defesa do título, ao vencer Ann Roesch por 6/1 e 6/3, enquanto a norte-americana Lindsay Davenport, voltando de contusão, não teve problemas para superar Maria Santangelo por 6/0 e 6/0.

Agencia Estado,

13 de março de 2004 | 11h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.