Ettore Ferrari/EFE
Ettore Ferrari/EFE

Integrantes do Top 10, Svitolina e Bertens desistem do US Open

Já são três integrantes do restrito grupo da elite do tênis feminino a desfalcarem a chave do US Open

Redação, Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2020 | 15h12

O US Open sofreu mais duas baixas importantes nesta sexta-feira. A ucraniana Elina Svitolina e a holandesa Kiki Bertens alegaram preocupação com a pandemia do novo coronavírus para desistir do Grand Slam disputado nos Estados Unidos, marcado para começar no dia 31, em Nove York. Ambas as tenistas estão no Top 10 do ranking mundial.

Assim, já são três integrantes do restrito grupo da elite do tênis feminino a desfalcarem a chave do US Open. Antes das duas, a australiana Ashleigh Barty, atual número 1 do mundo, desistiu da competição por temor de colocar a si mesmo e sua equipe em risco de contaminação por covid-19. Já a romena Simona Halep, número dois do ranking, deve anunciar a desistência nos próximos dias.

Atual número cinco do mundo, Svitolina disse "não se sentir confortável em viajar para os EUA por colocar a mim mesma e o meu time em risco". Bertens, atual 7ª do ranking, alegou também a necessidade de ficar de quarentena quando retornar à Europa para os torneios no saibro.

A exigência da quarentena vem causando forte incômodo entre os tenistas europeus. Até mesmo o sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo na lista masculina, já colocou em risco sua presença em Nova York por conta da necessidade de isolamento em seu retorno ao Velho Continente.

A quarentena atingiria em cheio a programação dos tenistas. Isso porque o US Open se encerrará no dia 13 de setembro. Em seguida, haverá o Masters de Roma, para ambos os sexos, e no dia 27 terá início Roland Garros, em Paris. Com a quarentena, os atletas não conseguiriam competir em Roma, único preparatório para o Grand Slam francês, disputado no saibro.

No masculino, a lista de baixas é maior do que na feminina. Atual campeão, o espanhol Rafael Nadal anunciou sua desistência nesta semana. O suíço Roger Federer já havia descartado competir na retomada do circuito. Também ficarão de fora do US Open, os franceses Gael Monfils e Jo-Wilfried Tsonga, o italiano Fabio Fognini, o suíço Stan Wawrinka e o australiano Nick Kyrgios.

Tudo o que sabemos sobre:
tênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.