ITF anuncia que Sharapova ainda será julgada pelo uso de Meldonium

Russa não será beneficiada por medida da Wada

Estadão Conteúdo

14 de abril de 2016 | 10h56

Um dia depois da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) prometer amenizar as regras para atletas que testaram positivo para Meldonium, a Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) se apressou em informar que a russa Maria Sharapova não será beneficiada. De acordo com a entidade, a tenista ainda será julgada depois de ter sido flagrada pelo uso da substância proibida.

A Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) revelou na quarta-feira que os atletas que testaram positivo para Meldonium podem escapar de uma suspensão em razão da falta de certeza sobre quanto tempo leva para a substância deixar o corpo.

Assim, a Wada declarou que suspensões provisórias podem ser canceladas se ficar determinado que um atleta consumiu Meldonium antes da substância ter sido colocada na lista de proibidas da agência, em 1º de janeiro deste ano.

Diante do posicionamento da agência, a ITF se apressou em responder. "Diante da recente notícia da Wada sobre o processo de lidar com casos envolvendo Meldonium, a ITF pode confirmar que o caso do Programa Antidoping do Tênis envolvendo Maria Sharapova vai proceder com uma audiência de acordo com as recomendações da Wada", garantiu em comunicado.

Por conta da dificuldade em determinar o tempo que leva para o Meldonium deixar o corpo, a Wada explicou que atletas flagrados pelo uso da substância antes de 1.º de março podem ter a suspensão provisória revertida. A notícia do doping de Sharapova foi confirmada no dia 7 de março, mas por um teste ocorrido durante sua participação no Aberto da Austrália, em janeiro. Nem assim ela ficará livre do julgamento.

"A ITF não pretende fazer nenhum outro comunicado até o fim deste processo por causa da confidencialidade do Programa Antidoping do Tênis. O programa é compreensivo e reconhecido internacional e se aplica a todos os jogadores competindo em torneios de Grand Slam, da ITF, da ATP ou da WTA", diz a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.