João Pires/Fotojump
João Pires/Fotojump

ITF anuncia suspensão de tenista brasileiro por 9 meses em caso de doping

Igor Marcondes leva gancho por teste que deu positivo em março, durante torneio em Portugal

Estadão Conteúdo

12 Setembro 2018 | 20h46

A Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira a suspensão de Igor Marcondes por nove meses após testar positivo em exame antidoping. O brasileiro foi flagrado em teste realizado em março, durante a disputa do Future de Loulé, em Portugal.

Marcondes, de 21 anos, testou positivo para hidroclorotiazida, uma substância diurética que tem efeito mascador do uso de outras substâncias. E a conclusão foi de não houve intenção do tenista brasileiro no caso de doping, ocorrido por contaminação. O erro, segundo o advogado do atleta, Bruno Vasconcelos, foi da farmácia de manipulação.

"Nós iremos nos próximos dias entrar com uma ação contra a farmácia manipuladora diante dos danos que causaram ao atleta que teve uma temporada inteira praticamente prejudicada", afirmou Bruno Vasconcelos, em nota.

Ele ocupa a 729º posição no ranking de duplistas da ATP e a 835ª colocação na lista de simples. A suspensão de Marcondes é retroativa a 8 de março, data em que o brasileiro foi submetido ao exame antidoping porque o tenista não contestou o resultado e aceitou a pena imposta pela ITF.

"Dizer que estou feliz diante da situação não é a palavra correta uma vez que perdi praticamente uma temporada inteira e fiquei muito prejudicado principlamente quanto ao meu ranking que irá a quase zero e a oportunidade de crescimento que poderia ter nessa minha temporada que vinha sendo de transição no circuito. De qualquer forma saio aliviado que a ITF tenha entendido que não tive culpa na ingestação da substância e que finalmente tenha tido essa boa notícia eu posso voltar a jogar dentro de poucas semanas", afirmou Igor Marcondes.

De acordo com a federação, a punição foi agravada por casos recentes de doping de tenistas do País - Marcelo Demoliner e Thomaz Bellucci - para a mesma substância e com o argumento de contaminação através de uma farmácia de manipulação. E com o conhecimento dessa informação, o brasileiro deveria ter adotado maior cautela.

"Já vinha me preparando há várias semanas e estava ansioso pelas notícias positivas que saíram e agora é treinar ainda mais forte para retornar com tudo assim que for liberado para buscar retomar e ter resultados ainda melhores que vinha tendo. Certamente essa situação vai me tornar mais forte mentalmente para encarar o circuito profissional", finalizou o tenista.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.