Dino Garcia/Divulgação
Dino Garcia/Divulgação

ITF aponta cabeças de chave e define possíveis rivais do Brasil na Davis

Repescagem está prevista para ser disputada entre 15 e 17 de setembro

Estadao Conteudo

10 de abril de 2017 | 12h10

A Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira quais as equipes serão as cabeças de chave no sorteio dos playoffs do Grupo Mundial da Copa Davis, agendado para esta terça. E como o Brasil não está entre as equipes sob essa condição, vai enfrentar uma delas valendo uma vaga na elite da competição.

O Brasil avançou aos playoffs da Davis no último fim de semana ao superar o Equador no Zonal Americano I por 5 a 0, em confronto na cidade de Ambato, fora de casa. Assim, voltará a ter uma chance de jogar na elite da Davis, o que não acontece desde 2015.

Os cabeças de chave foram determinados através do ranking de nações da ITF, sendo que todas são equipes eliminadas na primeira rodada do Grupo Mundial estão nessa condição. São elas: Argentina, Croácia, Suíça, República Checa, Alemanha, Japão, Rússia e Canadá. Já o Brasil, que ocupa o 19º lugar nesse ranking da ITF, estará no sorteio ao lado de Bielo-Rússia, Colômbia, Hungria, Índia, Casaquistão, Holanda e Portugal.

Como há um revezamento automático no local de realização das séries, já é possível saber que o Brasil será mandante nos playoffs se o seu adversário for Argentina, Suíça, República Checa ou Alemanha, pois a equipe visitou estas equipes em seus últimos duelos. Já Croácia, Rússia e Canadá atuarão em casa diante da equipe brasileira. A única dúvida envolve um possível duelo com o Japão, pois o Brasil nunca encarou os nipônicos na Davis. Assim, o local seria definido através de um novo sorteio.

Os playoffs da Davis estão previstos para serem disputados entre 15 e 17 de setembro e terão seus confrontos definidos através do sorteio agendado para as 6 horas (de Brasília) desta terça-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisCopa Davis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.