ITF, ATP, WTA e Grand Slam investigarão possível corrupção

Entidades querem saber, juntas, se os resultados das partidas são mesmo combinadas, como disse Murray

EFE

12 de outubro de 2007 | 15h14

A Federação Internacional de Tênis (ITF, em inglês), e as associações de tenistas profissionais masculina (ATP) e feminina (WTA), além do Comitê do Grand Slam, divulgaram nesta sexta uma nota afirmando que investigarão as supostas denúncias de corrupção no esporte. Após reunião, as quatro grandes organizações reafirmaram um acordo para unificar critérios e normas, com o objetivo de garantir a integridade do tênis. "Temos a convicção de que não há um problema de corrupção, mas assumimos que a ameaça e o risco existem. Temos absoluta confiança na integridade do esporte", diz a nota. Por isso, as quatro organizações decidiram pedir a especialistas uma investigação que avalie com independência a situação de risco e ajude as autoridades esportivas a traçar um panorama real da situação, a fim de que medidas possam ser tomadas. As suspeitas de corrupção no mundo do tênis surgiram após recentes declarações feitas pelo escocês Andy Murray. Em entrevista, ele disse que os jogos da ATP são regularmente armados, e que todos os jogadores sabem disso.

Tudo o que sabemos sobre:
corrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.