Evaristo Sá / AFP
Evaristo Sá / AFP

João Zwetsch deixa de ser capitão do Brasil na Davis após derrota para Bélgica

CBT procurará novo comandante para disputa do duelo Zonal Americano I, em setembro

Redação, Estadão Conteúdo

03 Fevereiro 2019 | 18h18

A derrota do Brasil para a Bélgica no confronto válido pela fase qualificatória da remodelada Copa Davis provocou o fim da passagem de João Zwetsch pela função de capitão da equipe nacional. Ele estava no cargo há nove anos e ainda não teve o seu substituto definido pela Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

"Eu e a CBT já vínhamos conversando sobre esse ciclo e no meu entendimento chegou o momento de fechamento", afirmou Zwetsch, que tinha colocado o cargo à disposição do comando da CBT no último sábado, quando o Brasil perdeu o confronto para a desfalcada Bélgica por 3 a 1, em Uberlândia.

"Foi um ciclo importante, que abrangeu várias gerações de atletas, um ciclo de aglutinação de jogadores, com grandes momentos como a vitória do Brasil sobre a Espanha, com a participação no Grupo Mundial da competição. Toda a equipe possui muito respeito com o trabalho desenvolvido pelo João, que sempre priorizou um clima de parceria e respeito na equipe, dentro e fora das quadras", acrescentou Rafael Westrupp, presidente da CBT.

O confronto com a Bélgica valia a classificação à fase final da Copa Davis que vai ser disputada por 18 equipes, em Madri, em novembro. Mas com o revés, o Brasil precisará disputar duelo pelo Zonal Americano I, em setembro. E terá de vencer para disputar o qualificatório para a fase decisiva da edição de 2020 da Davis.

"Gostaria de agradecer a confiança depositada em mim, primeiramente pelo Jorge Lacerda e depois por Rafael Westrupp. Também agradecer a todos os profissionais que estiveram comigo nesse desafio, o técnico Daniel Melo, o preparador físico Eduardo Faria, os médicos Ricardo Diaz e Gilbert Bang, os fisioterapeutas Paulo Roberto Santos e Otávio Kiefer. Agradecer aos atletas que passaram pela equipe brasileira enquanto estive nela. Vivi momentos de muito crescimento com cada um da equipe", concluiu Zwetsch.

Mais conteúdo sobre:
tênisCopa DavisJoão Zwetsch

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.