Jornal denuncia venda ilegal de ingressos em Roland Garros

Tenista afirma que repassa os quatro ingressos que recebe dos organizadores do Grand Slam de tênis

Efe,

27 de maio de 2008 | 12h37

O jornal francês L'Equipe divulgou em sua edição desta terça-feira um possível esquema de venda de ingressos ao torneio de Roland Garros por parte de ex-tenistas que defenderam a França na Copa Davis, que têm direito a uma cota para assistir de graça ao segundo Grand Slam da temporada. O jornal diz que a Justiça da cidade de Rennes, no noroeste da França, abriu uma investigação sobre o fato. Os envolvidos, cujos nomes não foram revelados, serão interrogados nos próximos dias, durante o torneio em Paris. O L'Equipe não revela os motivos da investigação, mas comentou que os tenistas vendem os ingressos aos quais têm direito para lucrar com as vendas. Enquanto o jornal regional La Province publicou um testemunho anônimo sobre o caso, fontes da Justiça de Rennes disseram que os ex-tenistas serão interrogados, mas que o publicado não influenciará a investigação. A organização de Roland Garros também minimizou a importância do assunto. O diretor-geral da Federação Francesa de Tênis, Jean-François Vilotte, afirmou que a entrega de ingressos a pessoas ligadas aos tenistas é uma prática transparente. Ele explicou ainda que o número de concessões cai anualmente. O tenista francês Fabrice Santoro confirmou que repassa os quatro ingressos à quadra central que recebe por dia, mas não sabe se eles são vendidos a preços superiores aos das bilheterias.

Tudo o que sabemos sobre:
Roland GarrosATPingresos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.