Andrew Boyers/Reuters
Andrew Boyers/Reuters

Kerber comemora 1º título em Wimbledon: 'É um sonho realizado'

Tenista alemã venceu o terceiro torneio de Grand Slam na carreira ao derrotar a americana Serena Williams por 2 sets a 0

Estadão Conteúdo

14 de julho de 2018 | 18h20

Angelique Kerber comemorou neste sábado seu primeiro título de Wimbledon. Sem esconder a felicidade pela conquista, a tenista alemã disse ter realizado um "sonho" ao levantar o cobiçado troféu, após vencer a americana Serena Williams pelo placar de 2 sets a 0, com duplo 6/3, em apenas 65 minutos, na grama de Londres.

+ Kerber bate Serena, adia feitos de rival e fatura título de Wimbledon pela 1ª vez

+ Em conclusão de jogo paralisado, Djokovic bate Nadal e vai à final de Wimbledon

+ Em batalha de 6 horas e meia, Anderson avança à final de Wimbledon

"É um sonho que se realiza", festejou a alemã, que saltará do 10º para o 4º lugar do ranking, na próxima segunda-feira. "Eu sabia que teria que jogar o meu melhor tênis para vencer uma campeã como Serena. É sempre uma honra dividir a quadra com ela. Aproveitei cada segundo destas duas semanas aqui. Queria agradecer a minha família e aos meus amigos. Sem eles, eu não estaria aqui."

Foi o terceiro título de Grand Slam conquistado por Kerber, que já venceu também o Aberto da Austrália e o US Open, ambos em 2016. Aquele ano foi o melhor de sua carreira. No entanto, ela teve uma forte queda de rendimento na temporada passada. Chegou a ser número 1 e caiu para 22º na esteira de uma sequência de tropeços, seja na estreia de um Grand Slam ou diante de uma rival de evidente menor capacidade.

O triunfo em Londres, portanto, teve sabor de reafirmação para a tenista de 30 anos. Principalmente por ser sobre a rival americana, que havia sido sua algoz nesta mesma grama, na final de 2016. "Tenho certeza de que você ganhará mais torneios de Grand Slam logo", disse Kerber à Serena.

"Você é uma grande pessoa, uma forte inspiração para todas nós, que jogamos e assistimos. Parabéns pelo seu retorno", afirmou a alemã, referindo-se à consistente volta da ex-número 1 do mundo às quadras após dar a luz ao seu primeiro filho, em setembro do ano passado.

Serena passou por um parto complicado, seguido de outras cirurgias, em razão de uma embolia pulmonar, que colocou em risco a sua vida. O retorno ao circuito também não foi fácil. Ela voltou a competir em fevereiro deste ano, em um jogo de duplas na Fed Cup.

Ela exibiu fraco rendimento nas primeiras competições e se afastou novamente para dar maior atenção ao preparo físico e técnico. Na volta, obteve como melhor resultado as oitavas de final em Roland Garros, no mês passado. Wimbledon é o seu quarto torneio, sem contar a partida de duplas na Fed Cup.

"Eu estava jogando hoje por todas as mamães aí fora. Eu tentei, mas Angelique jogou muito melhor", comentou a atual 181º do mundo - deve retornar ao Top 30 na segunda. "Eu não sou super humana, sou apenas eu mesma", declarou.

Serena se mostrou satisfeita com sua campanha em Wimbledon. "Há alguns meses, eu não sabia onde eu estaria hoje, onde eu poderia chegar, como eu estaria. Foi um longo caminho até ver uma luz no fim da estrada. Estas duas semanas me mostraram que posso competir mesmo. Sei agora que posso ir ao circuito e brigar por um título de Grand Slam."

 

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.