Edgar Su / Reuters
Edgar Su / Reuters

Kerber sofre, mas bate Osaka e aumenta a sua chance de avançar no WTA Finals

Kiki Bertens enfrenta Sloane Stephens na outra partida do grupo, que ainda será disputada

Estadão Conteúdo

24 Outubro 2018 | 12h34

Depois de decepcionar ao estrear no WTA Finals com uma derrota para a holandesa Kiki Bertens, a alemã Angelique Kerber voltou a sofrer nesta quarta-feira, mas venceu a japonesa Naomi Osaka por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 5/7 e 6/4, para aumentar a sua chance de se classificar para a próxima fase da competição que reúne as oito melhores tenistas da temporada, em Cingapura.

Atual vice-líder do ranking mundial e principal cabeça de chave do torneio realizado em quadra dura na Ásia, Kerber havia sido surpreendida por Bertens, nona colocada da WTA, na última segunda-feira, quando caiu por 2 sets a 1 na abertura do Grupo Vermelho do evento.

Agora, porém, terá a chance de assegurar classificação às semifinais na sexta-feira, quando enfrentará a norte-americana Sloane Stephens. Já Osaka, de 21 anos e hoje quarta tenista do ranking mundial, amargou a sua segunda derrota em dois jogos após ser batida pela rival dos Estados Unidos em sua estreia na segunda-feira.

No fechamento do Grupo Vermelho, a japonesa estreante no WTA Finals vai encarar Bertens, enquanto Stephens medirá forças com Kerber. Em duelo que será encerrado ainda na noite desta quarta-feira (no horário de Cingapura), a norte-americana encara a holandesa no duelo que encerra a segunda rodada desta chave.

Terceira cabeça de chave do WTA Finals, Osaka exibiu força ao quebrar o saque da número 2 do mundo por cinco vezes no confronto desta quarta-feira, mas a alemã converteu seis de nove break points para ganhar a partida após 2h29min.

Com 30 anos de idade, Kerber obteve a sua quarta vitória em cinco duelos com a japonesa no circuito profissional. Ela já havia superado a asiática por uma vez nesta temporada, na qual eliminou a adversária na terceira rodada de Wimbledon, Grand Slam realizado em Londres. Antes disso, em 2017, Osaka arrasou a alemã no US Open, em Nova York, mas foi batida pela adversária em Pequim, na China, e em Tóquio, no Japão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.