Kim Cljisters, "a esperança australiana"

Os australianos amargaram a pior rodada do torneio deste ano, com a eliminação do ex-número 1 do mundo, Lleyton Hewitt - para o suíço Roger Federer - e de Mark Philippoussis - perdeu para Hicham Arazi. Mas, espertos, já escolheram para quem torcer e andaram rápido num "processo de naturalização" da belga Kim Cljisters, de casamento marcado com Hewitt, que passou a receber a designação de "aussie". Assim, Kim "aussie" Cljisters transformou-se na esperança australiana, pois é a mais próxima da torcida a seguir na competição. Na última rodada, confirmou seu favoritismo para o Aberto da Austrália e derrotou Silvia Farina por 6/3 e 6/3. Terá pela frente agora, a russa Anastasia Myskina, que eliminou Chand Rubin por 6/2 e 6/2. Nestas finais, o torneio feminino ganhou emoção. A suíça Patty Schnyder - depois de um longo período com problemas particulares - voltou a mostrar seu talento e na partida em que venceu Nathalie Dechy, por 6/2 e 6/4, aplicou um ace a 211 km/h e está a e spera da oficialização do recorde pela WTA. Os confrontos das quartas-de-final do feminino têm Justine Henin-Hardenne diante de Lindsay Davenport, Amelie Mauresmo - prejudicada por uma lesão muscular - com Fabíola Zuluaza; Patty Schnyder com Lisa Raimond e Myskina com Cljisters.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2004 | 16h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.