Líder do ranking mundial, Justine Henin dá adeus às quadras

'Tenho mais dinheiro do que posso gastar em três vidas, não preciso jogar', alega Justine Henin, de 25 anos

Redação,

14 de maio de 2008 | 11h32

Número 1 do mundo, a belga Justine Henin anunciou sua aposentadoria do tênis profissional, em entrevista coletiva nesta quarta-feira. Aos 25 anos, a tenista se despede das quadras para buscar "novos desafios na sua vida", revelou.  "Esse é uma fim de uma aventura maravilhosa, mas é algo que eu venho pensando há bastante tempo", disse. "É uma escolha definitiva. Quem me conhece sabe disso", afirmou a belga, que havia desistido do Aberto da Itália nesta semana alegando cansaço e definiu o momento como "o fim de um sonho de criança". O agente da atleta, Ken Meyerson afirmou que, nesse domingo, 11, ela havia dito que estava cansada. "Tenho mais dinheiro do que posso gastar em três vidas, não preciso mais jogar", alegou Henin a Meyerson, durante uma discussão sobre os rumos de sua carreira. Só em premiações, ela ganhou cerca de US$ 20 milhões (R$ 33 milhões). A decisão da líder do ranking mundial é anunciada a menos de duas semanas do início do torneio de Roland Garros, palco principal da carreira da belga. Foi em solo francês que ela conquistou quatro de seus sete títulos de Grand Slam, sendo três de forma consecutiva, em 2005, 2006 e 2007 - antes, havia conquistado o torneio em 2003. Justine pendura a raquete após ficar mais de 100 semanas líder do ranking da WTA, tendo conquistado nesse período quatro títulos de Roland Garros, dois US Open e um Australian Open - três torneios de Grand Slam - além de uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. Ao todo, ela ganhou sete títulos de Grand Slam. Em 2007, a tenista teve sua melhor temporada. A tenista conquistou dez dos 14 títulos disputados e estabeleceu o recorde de prêmios em um único ano para uma jogadora, levando para casa US$ 5 milhões. Porém, 2008 não começou bem para Justine. A tenista foi facilmente derrotada pelas suas rivais Maria Sharapova, no Australian Open, e Serena Williams, no torneio de Miami. Em 8 de maio, foi eliminada pela campeã e surpresa do Torneio de Berlim, a russa Dinara Safina. LAMENTAÇÕESLarry Scott, presidente da WTA, lamentou a aposentadoria da tenista belga Justine Henin, número um do mundo, que anunciou o afastamento do esporte nesta quarta-feira. "Henin será lembrada como uma das grandes campeãs de todos os tempos na história do tênis feminino. E uma mulher que compensou suas limitações físicas com vontade, ânsia de superação e espírito de luta", disse Scott. O dirigente reconheceu que achou estranho o afastamento imediato da líder do ranking. "Não é habitual que uma atleta jovem, que está no auge, decida abandonar o esporte. Mas Justine sempre teve idéias claras", disse.  A entidade afirma que hoje é "um dia triste para o tênis e milhões de seguidores desta modalidade". (Com agências internacionais).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.