Minas Panagiotakis/ AFP
Minas Panagiotakis/ AFP

Luisa Stefani é campeã em Montreal e conquista maior título de sua carreira

Tenista brasileira coroa grande fase após medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Ricardo Magatti, Estadão Conteúdo

15 de agosto de 2021 | 19h43

Luisa Stefani vive a melhor fase de sua carreira. Após o bronze inédito nos Jogos Olímpicos de Tóquio e o vice em San Jose, a tenista brasileira conquistou o maior título de sua carreira neste domingo ao faturar o WTA 1000 de Montreal. Ela e a parceira canadense Gabriela Dabrowski venceram a eslovena Andreja Klepac e a croata Darija Jurak por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4, após pouco mais de 1 hora de partida, e se vingaram das adversárias para as quais haviam perdido na decisão na Califórnia há uma semana.

Com a vitória no Canadá, a maior de sua carreira, Stefani, de 22 anos, chegou ao seu terceiro título em dez finais. Ela tinha duas conquistas, ambas com a americana Hayley Carter, em torneios WTA 250, em Tashkent, no Uzbequistão, em 2019 e Lexington, nos Estados Unidos, em agosto de 2020.

Pelo título em Montreal, a brasileira subirá três posições no ranking e saltará do 22º para o 19º lugar, tornando-se a primeira tenista do País a entrar no top 20 desde que o ranking da WTA foi criado, em 1975.

A tenista paulistana disputou o terceiro torneio com Dabrowski e em todos alcançou a final, um deles no ano passado em Ostrava, na República Tcheca, e o outro na semana passada, no WTA 500 de San Jose, na Califórnia.

Luisa Stefani e Gabriela Dabrowski viajam neste domingo para os Estados Unidos, onde disputam mais um WTA 1000, o de Cincinnati. O torneio começa na segunda-feira e é o último preparatório para o US Open, Grand Slam que tem início no dia 30 deste mês.

Na chave de simples, o título do WTA 1000 de Montreal ficou com a italiana Camila Giorgi, que derrubou o favoritismo da checa Karolina Pliskova, ex-número 1 do mundo, ao vencer em sets diretos, por 6/3 e 7/5, em 1h40 de jogo. Foi a maior conquista da carreira da tenista da Itália de 29 anos, que dará um grande salto no ranking mundial e subirá para o 34º posto.

MASTERS 1000 DE TORONTO

Na final do Masters 1000 de Toronto, Daniil Medvedev confirmou o favoritismo e derrotou o americano Reilly Opelka por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/3, para ficar com o título após 1h27 de jogo de confronto.

O russo, atual número 2 do mundo e agora mais perto do líder do ranking, Novak Djokovic, foi mais consistente e soube lidar bem com os saques potentes do gigante de mais de 2 metros que foram fundamentais para que ele chegasse à principal decisão de sua carreira.

Medvedev conquistou neste domingo o 12º troféu da carreira e o terceiro da temporada, depois de ter vencido em Marselha e Mallorca. O título em Toronto foi o quarto de Masters 1000. Antes, havia sido campeão em Cincinnati e Xangai em 2019 e Paris no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.