Divulgação
Divulgação

Marcelo Demoliner estreia bem e avança à 2ª rodada de duplas em Roland Garros

No feminino, Pliskova derrota eslovaca e avança à 3.ª rodada

Redação, Estadão Conteúdo

29 de maio de 2019 | 10h58

O brasileiro Marcelo Demoliner teve uma boa estreia nesta quarta-feira na chave de duplas de Roland Garros, segundo Grand Slam da temporada que é disputado em quadras de saibro em Paris. Ao lado do indiano Divij Sharan, que tem sido o seu parceiro na maioria dos torneios, o tenista gaúcho passou pela dupla formada pelo sueco Robert Lindstedt e pelo húngaro Marton Fucsovics com a vitória por 2 sets a 1 - com parciais de 6/3, 4/6 e 6/2, após 1 hora e 48 minutos.

Na segunda rodada, Demoliner e Sharan terão uma complicada missão pela frente. Eles terão que desafiar os cabeças de chave número 8, o finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers, que passaram pela estreia com vitória por 2 sets a 0 contra o argentino Leonardo Mayer e o português João Sousa, aplicando um duplo 6/4.

Demoliner se junta assim ao mineiro Marcelo Melo, que forma com o polonês Lukasz Kubot a parceria cabeça de chave número 1, como os brasileiros ainda vivos em Roland Garros. Na terça-feira, Melo e Kubot ganharam na estreia dos espanhóis Roberto Carballes Baena e Jaume Munar, mas o conterrâneo Bruno Soares se despediu da dupla com o britânico Jamie Murray com uma derrota logo na estreia. E, em simples, o cearense Thiago Monteiro perdeu para o sérvio Dusan Lajovic na sua primeira partida na chave de simples.

O tenista gaúcho, atualmente em 48.º lugar no ranking individual de duplas, tem feito uma boa temporada. Ao lado de Sharan, foi finalista no saibro do ATP 250 de Munique, na Alemanha. Com o russo Daniil Medvedev, Demoliner chegou às quartas de final dos Masters 1000 de Montecarlo, em Mônaco, e de Madri, na Espanha.

NO FEMININO

Na briga pelo título e para se tornar a número 1 do mundo, a checa Karolina Pliskova deu mais um passo nesta quarta-feira ao avançar à terceira rodada. Atual segunda colocada do ranking da WTA, a tenista da República Checa derrotou com facilidade a eslovaca Kristina Kucova (203.ª colocada), que veio do qualifying, por 2 sets a 0 - com parciais de 6/2 e 6/2, após 56 minutos.

Na rodada de estreia, Kucova havia surpreendido a russa Svetlana Kuznetsova, campeã de Roland Garros em 2009, mas não foi páreo para Pliskova nesta quarta-feira. Pliskova teve amplo domínios nos números da partida - foi melhor em aces (8 a 0), aproveitamento no primeiro serviço (76% a 43%), winners (29 a 8) e pontos ganhos (57 a 32).

A adversária na terceira rodada promete dar bem mais trabalho para Pliskova. A checa terá pela frente a croata Petra Martic, número 31 do mundo e cabeça de chave 31 em Paris, que nesta quarta-feira eliminou a francesa Kristina Mladenovic, 53.ª colocada do ranking, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1.

Campeã de Roland Garros em 2016, a espanhola Garbiñe Muguruza segue firme na competição com a segunda vitória em Paris. Nesta quarta-feira, a número 19 do mundo bateu a sueca Johanna Larsson por 2 sets a 0 - com parciais de 6/4 e 6/1, 1 hora e 4 minutos.

Na terceira rodada, a cabeça de chave 19 terá uma tarefa bem mais complicada pela frente. Sua próxima oponente será a ucraniana Elina Svitolina, nona pré-classificada, que sequer precisou entrar em quadra por causa da desistência da compatriota Kateryna Kozlova, que sofreu uma infecção viral.

OUTROS JOGOS

Sétima cabeça de chave e atual vice-campeã em Paris, a norte-americana Sloane Stephens também se classificou à terceira rodada. A vaga veio em uma vitória sobre a espanhola Sara Sorribes Tormo por 2 sets a 0 - com parciais de 6/1 e 7/6 (7/3), em 1 hora e 26 minutos. A próxima rival será a eslovaca Polona Hercog, que ganhou de Jennifer Brady, também dos Estados Unidos, por 2 a 1 - parciais de 6/3, 6/7 (8/10) e 6/4.

Outras tenistas que venceram e avançaram em Roland Garros foram a belga Elise Mertens (cabeça 20), a letã Anastasija Sevastova, a russa Veronika Kudermetova, a estoniana Kaia Kanepi, a checa Marketa Vondrousova e a espanhola Carla Suárez Navarro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.