Andy Wong/AP
Andy Wong/AP

Marcelo Melo faz balanço positivo de 2019 após fechar 7º ano seguido no Top 10

Brasileiro fecha pela sétima vez seguida uma temporada entre os dez melhores duplistas no tênis mundial

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2019 | 11h29

A temporada de 2019 do tênis terminou e Marcelo Melo não tem do que reclamar. Após a disputa do ATP Finals, em Londres, na semana passada, quando caiu nas semifinais para os campeões franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, o duplista mineiro entrou de férias e nesta quarta-feira fez um balanço positivo do ano, já que pela sétima vez seguida fechou a maratona de competições dentro do Top 10.

Melo e seu habitual parceiro, o polonês Lukasz Kubot, encerraram 2019 como a segunda melhor dupla do mundo, com 5.000 pontos - atrás apenas dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (8.500). Já no ranking mundial individual de duplas, ficaram entre os Top 10: Melo em sétimo, com 4.910 pontos, e Kubot na sexta colocação, com 5.090. O brasileiro encerrou 2018 como nono do mundo, ficou em primeiro em 2017 e 2015, oitavo em 2016 e sexto colocado em 2013 e 2014.

"Começamos o ano eu machucado, o Lukasz jogou sozinho, com outro parceiro. Depois, até encontrar o ritmo, foi só em Indian Wells (em março). Aí terminando como a segunda melhor dupla do mundo e os resultados que tivemos, acho que foi uma excelente temporada. Resultados, logicamente, vão e vem. E encerramos o ano muito bem. Fizemos bom resultado no US Open, três finais seguidas (Beijing, Xangai e Viena), mais a semi no ATP Finals. Foi ótimo" analisou Melo.

"Terminar como a dupla número 2 do mundo, nós dois Top 10, fenomenal. Acho que só tem coisa positiva. Foram muito mais vitórias que derrotas e isso traz muita confiança para o ano que vem. Agora é descansar que a temporada foi longa e ir com tudo em 2020", completou o tenista mineiro.

Melo e Kubot encerraram o ano tendo chegado a seis finais e conquistado o título do ATP 250 de Winston-Salem (Estados Unidos) - o 13.º juntos e o 33.º da carreira do brasileiro. Foram vice-campeões nos ATP 500 de Halle (Alemanha), Pequim (China) e Viena (Áustria) e nos Masters 1000 de Indian Wells (EUA) e Xangai (China). E caíram nas semifinais no ATP Finals, nos Masters 1000 de Miami (EUA) e Roma (Itália) e no ATP 500 de Washington (EUA).

Recordista brasileiro em número de títulos e também em semanas no topo do ranking da ATP (56), assim como em participações no ATP Finals - completou sete seguidas -, em 2019 Melo somou mais um recorde ao atingir 500 vitórias na estreia no ATP 500 de Washington, em julho. É o maior vencedor entre os tenistas do Brasil, passando a ser o 35.º jogador de todos os tempos a atingir essa marca - atualmente são 523.

Para Entender

Programação de tv

Veja as principais atrações esportivas do dia

 

Tudo o que sabemos sobre:
tênisMarcelo MeloLukasz Kubot

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.