Carmen JASPERSEN / AFP
Carmen JASPERSEN / AFP

Medvedev avança e Tsitsipas cai na Alemanha; Berretini ganha 6ª seguida na grama

Na próxima rodada, o primeiro do ranking vai ter pela frente o espanhol Roberto Bautista Agut

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2022 | 15h50

Proibido de jogar em Wimbledon, o número 1 do ranking mundial, Daniil Medvedev, está aproveitando como pode a temporada de grama do tênis profissional. Nessa quinta-feira, avançou para as quartas de final do ATP 500 de Halle, na Alemanha, ao derrotar Ilya Ivashka, número 42 do mundo, por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-4) e 6/3, em 1 hora e 36 minutos. Foi a segunda vitória em menos de uma semana contra o tenista de Belarus (ele ganhara de Ivashka nas quartas na Holanda).

Na próxima rodada, o primeiro do ranking, que vem de um vice na grama holandesa, vai ter pela frente o espanhol Roberto Bautista Agut (20º), que despachou o holandês Tallon Griekspoor por 6/7 (6-8), 6/4 e 6/2. Por conta da guerra na Ucrânia, a organização de Wimbledon vetou a participação de todos os atletas russos e bielo-russos na edição 2022.

"Ele (Ivashka) é um grande tenista, que teve uma série de azar com lesões no começo da temporada. Ele já me venceu na Copa Davis e sabe jogar bem na grama, então estou muito feliz de ter vencido ele duas vezes em uma semana na grama. Foi um teste duro", afirmou o russo.

Já o australiano Nick Kyrgios (65º) não se intimidou com o saque adversário e despachou o favorito número 2, Stefanos Tsitsipas, por 5/7, 6/2 e 6/4. O grego, atual número 6 do mundo, fez 18 aces contra 9 de Kyrgios. O tenista da Austrália, que só entrou na chave principal graças a um convite da organização, enfrentará nas quartas de final o espanhol Pablo Carreño Bustas, que eliminou o americano Sebastian Korda por 6/4, 0/6 e 6/3.

Berrettini bate Kudla

No ATP 500 de Londres, Matteo Berrettini (10º do mundo) teve muito mais trabalho para chegar às quartas. Após acertar 22 aces, venceu, de virada, o americano Denis Kudla (84º), com parciais de 3/6, 7/6 (7/5) e 6/4, em 2 horas e 46 minutos. Apesar do sufoco, o italiano, segundo favorito do torneio, já soma seis vitórias consecutivas na grama - ele vem de um título no ATP 250 de Stuttgart (Alemanha), na semana passada.

"Nós nos conhecemos bem, eu acho que ele jogou realmente bem e na maior parte do jogo mereceu ganhar, mas eu fiquei firme, trabalhei duro e realmente estou muito feliz", afirmou Berrettini, que em março parou por conta de uma lesão e só voltou a jogar esse mês. Seu próximo rival será Tommy Paul, também dos Estados Unidos. Atual 35º do mundo, ele derrotou o suíço Stanislas Wawrinka por 6/1 e 6/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.