Mello e Zampieri vencem e vão às quartas em Bogotá

O dia foi de vitórias para os brasileiros nesta quarta-feira pelo Challenger de Bogotá, na Colômbia. Ricardo Mello e Caio Zampieri venceram suas partidas e garantiram vaga nas quartas de final da competição. A tarefa mais complicada foi a de Mello, que eliminou o argentino Sergio Roitman, quinto cabeça de chave, de virada, por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (3/7), 6/4 e 7/5.

AE, Agencia Estado

23 de setembro de 2009 | 19h30

Mello comentou a vitória após mais de 2h40 de batalha contra Roitman. "Jogar na altitude de Bogotá sempre é duro, e para piorar a quadra estava mais rápida hoje [quarta-feira] do que nos outros dias", disse o brasileiro. "Nos pontos importantes, nós dois cometemos muitos erros e foi uma luta muito grande, de altos e baixos", completou o número 5 do Brasil.

Nas quartas, Mello vai encarar o equatoriano Giovanni Lapentti. Após ajudar o Equador a vencer o Brasil no confronto pela repescagem da Copa Davis, disputado no último final de semana, em Porto Alegre, Lapentti venceu nesta quarta o dinamarquês Kristian Pless por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 4/6 e 6/4.

Zampieri teve mais facilidade diante do colombiano Santiago Giraldo. Em 1h24, o brasileiro venceu por 2 sets a 0, com um duplo 6/4. "Estou melhorando a cada jogo e adquirindo confiança. Estava muito melhor hoje e bastante concentrado, embora Santiago não estivesse em seu melhor dia", analisou o tenista. "A chave para vencer foi minha direita. Devolvi bem e o primeiro serviço entrou."

Na próxima fase do torneio, Zampieri terá pela frente o alemão Andre Begermann. Assim como o brasileiro, Begermann também vem do qualifying. Nesta quarta, o alemão eliminou o argentino Eduardo Schwank, vencendo por 2 sets a 1, com parciais de 6/3, 2/6 e 7/6 (7/5).

O Challenger de Bogotá faz parte da Copa Petrobrás. Depois, a competição ainda terá mais cinco etapas, com torneios na Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile e Brasil. A última parada será em São Paulo, entre os dias 24 de outubro e 1.º de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.