Mello ganha "presente" argentino

Além de aparecer nesta segunda-feira, como novo número 1 do Brasil - em razão de nova queda de Gustavo Kuerten - o campineiro Ricardo Mello ganhou um verdadeiro ´regalo´, presente do argentino Gaston Gaudio. Depois de ter conquistado o título do ATP Tour de Buenos Aires, ao bater o compatriota Mariano Puerta, na final, por 6/4 e 6/4, o atual campeão de Roland Garros anunciou sua desistência do Brasil Open, alegando problemas com pubalgia. Com isso, Mello, que sequer estava na lista dos oito primeiro pré -classificados da competição, mas era o 9.º melhor do ranking entre os inscritos, ganhou a condição de cabeça-de-chave número 1. O melhor é que agora não vai mais enfrentar o perigoso e talentoso tenista argentino Juan Mônaco e fará sua estréia diante do espanhol Albert Montañes, que apesar de estar entre os cem primeiros da ATP (97), não é um adversário tão ameaçador. Na condição de novo cabeça-de-chave número 1 do Brasil Open, Mello amplia suas chances de fazer boa campanha e quem sabe conquistar o seu segundo título de um ATP Tour - ganhou Delray Beach no ano passado - e festejar uma conquista importante diante de sua torcida. "Sei que agora como novo número 1 do Brasil, aumentam as expectativas sobre mim", confessou Mello. "Mas, por outro lado, estou bastante confiante e sei que posso fazer uma boa campanha no Sauípe". A estréia de Mello será apenas na terça-feira, provavelmente na sessão noturna. A colocação de Mello - o 9.º melhor classificado no ranking entre os inscritos - como novo cabeça de chave número 1 é um regulamento recente da ATP. Até há pouco tempo, quando um dos cabeças deixavam a competição por motivo de contusão, ou qualquer outro, eram simplesmente substituídos por um lucky looser, que é um jogador que caiu na última rodada do qualifying. Mas, a ATP entendeu que o mais justo seria subir o mais bem ranqueado entre os não cabeças-de-chave. Evita assim, por exemplo, que um tenista acima dos 150 do mundo seja o principal cabeça de um evento como o Brasil Open. Com essa alteração, Juan Mônaco - que enfrentaria Mello na estréia - terá agora pela frente um lucky looser. E na rodada de abertura do Brasil Open, nesta segunda-feira, nenhum brasileiro vai fazer sua estréia na chave de simples. Apenas Ricardo Mello, ao lado de seu irmão Henrique, joga nas duplas diante dos poloneses Mariusz Fyrstenberg e Marcin Matkowski. O dia terá Juan Ignacio Chela contra Lars Burgsmuller, seguido de Albert Costa com Oscar Hernandez, Potitto Storace com Agustin Calleri, Davi Sanc hez com Paul Henri Mathieu e Santiago Ventura com Nicolas Almagro. A rodada desta segunda-feira ainda terá os jogos decisivos do qualiying. Neste domingo, nos principais resultados, Franco Ferreiro perdeu para Peter Luczak por 67, 6/2 e 6/4, Juan Antonio Marin derrotou Galo Blanco por 3/6, 6/3 e 7/5 e Edgardo Massa superou Nicolas Devilder por 6/3 e 6/3.

Agencia Estado,

13 de fevereiro de 2005 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.