Mello perde; Brasil sem tenistas em Madri

Com a derrota de Ricardo Mello, logo na primeira rodada do qualifying, para o francês Anthony Dupuis, o tênis brasileiro fica sem representantes em uma das mais importantes competições do circuito, o Masters Series de Madri. A eliminação de Mello, por 6/7, 6/2 e 6/2, foi surpreendente. Afinal, ele vive um bom momento, ocupa a 61.ª colocação do ranking - seu adversário é 94.º - e só este ano furou quatro qualificações importantes: Miami, Aberto da Austrália, Roland Garros e US Open. Só que agora, depois de ter vencido o primeiro set, deixou escapar uma boa oportunidade e vai ser obrigado a passar alguns dias na Europa a espera da disputa do torneio de São Petersburgo, na próxima semana, competição que foi vencida ano passado por Gustavo Kuerten. O Masters Series de Madri reabre a temporada de caça às vagas do Masters Cup, o Mundial de tênis, que reúne os oito melhores do ano, em novembro, em Houston. A boa pontuação distribuida no torneio espanhol vai ser importante para definir os últimos quatro classificados. Até agora Roger Federer, Andy Roddick, Lleyton Hewitt e Gaston Gaudio estão garantidos no Masters Cup de Houston. A briga em Madri promete ser boa com jogadores como Andre Agassi, Tim Henman, Marat Safin e David Nalbandian como favoritos para conquistar os últimos quatro lugares de Houston. Com objetivo de pegar uma destas vagas, Andre Agassi cruzou o Atlântico e chegou bem cedo a Madri, onde está desde quinta-feira. Aos 34 anos, não quer deixar escapar a chance de ir a Houston, onde ao lado da torcida e nas condições que mais gosta tentar um título marcante para então tomar a decisão de seguir ou não jogando. Enquanto alguns brigam nas quadras de Madri pelas vagas de Houston, tenistas já assegurados do Masters Cup, aproveitam para descansar e recuperar lesões. Nesta situação estão Federer, Hewitt e Roddick, que desistiram do torneio espanhol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.