Andy Wong/AP
Andy Wong/AP

Melo comemora triunfo e Soares reconhece superioridade do amigo em Xangai

Brasileiros se enfrentaram na decisão do Masters 1000 e parceiro de Lukasz Kubot saiu com a conquista nas duplas

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2018 | 13h10

Acostumados a jogar juntos na Copa Davis, Marcelo Melo e Bruno Soares estiveram em lados opostos da rede neste domingo. Com seus parceiros, decidiram o título do Masters 1000 de Xangai, na China. E Melo e o polonês Lukasz Kubot levaram a melhor desta vez ao conquistarem o título. Foi o segundo confronto entre os brasileiros no ano, com vitória de Soares e do escocês Jamie Murray no jogo anterior, em Cincinnati.

Ao fim da partida, Soares reconheceu a superioridade de Melo e Kubot na partida deste domingo. "Foi uma grande semana aqui, terminando com o vice. Hoje realmente não deu, a dupla do Marcelo foi superior, eles jogaram muito bem do início ao fim, não deram chances no saque. Acabaram jogando soltos na devolução e mereceram a vitória completamente", analisou Soares.

Melo, por sua vez, celebrou a grande atuação. "Estamos muito felizes com esse título. Jogamos muito bem todo o torneio. Hoje (domingo) o jogo foi muito bom, ficamos muito contentes com a maneira como jogamos, de novo. Conseguimos colocar o mais alto nível da nossa parceria em mais uma partida", festejou.

A vitória marcou o terceiro título de Melo na quadra dura de Xangai, sendo o nono troféu de nível Masters 1000 em sua carreira. "Mais um título em Xangai, o terceiro. Eu me sinto muito bem aqui mesmo. Valeu mais uma vez pela torcida, por todas as mensagens de apoio", comemorou.

Soares e Melo, e seus respectivos parceiros, agora vão ter uma semana de descanso antes de iniciar a reta final da temporada. As duas duplas vão seguir o mesmo calendário até o fim da temporada. Vão disputar o Torneio de Viena, de nível ATP 500, o Masters 1000 de Paris e o ATP Finals, a competição que encerra o ano e reúne as oito melhores duplas da temporada, em Londres.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.