Tim Ireland/AP
Tim Ireland/AP

Melo e Dodig perdem na semi e são eliminados do ATP Finals

Em 59 minutos, dupla cai para Bopanna e Mergea por 2 sets a 0

Estadão Conteúdo

21 de novembro de 2015 | 11h49

Não será desta vez que o brasileiro Marcelo Melo vai encerrar a temporada com o título do ATP Finals. Neste sábado, ele e o croata Ivan Dodig foram eliminados na semifinal da competição pelo indiano Rohan Bopanna e pelo romeno Florian Mergea por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 6/2, em apenas 59 minutos.

Em Londres, Melo tentava ao menos repetir a final disputada no ano passado. Mas, em sua terceira participação no torneio que reúne os melhores da temporada, acabou caindo na semifinal, como aconteceu em 2013. Bopanna e Mergea vão enfrentar na decisão os vencedores do confronto entre os irmãos norte-americanos Bob e Mike Bryan e o holandês Jean-Julier Rojer e o romeno Horia Tecau - eles se enfrentam a partir das 16 horas.

Neste sábado, Melo e Dodig repetiram a atuação irregular exibida ao longo da competição. Desta vez, porém, as oscilações custaram caro. A dupla estreou neste ATP Finals com uma inesperada vitória de virada, após salvar match points. Foi derrotada na segunda partida na fase de grupos e, após vencer o terceiro jogo, precisou de uma combinação de resultados para alcançar a semifinal.

Apesar do revés, Melo vai terminar o ano como número 1 do mundo no ranking individual de duplas. O feito coroa uma temporada brilhante do brasileiro, que chegou a emplacar 17 vitórias consecutivas nesta reta final do ano, antes de ser derrotado em sua segunda partida no ATP Finals.

Nesta ampla série invicta, Melo levantou quatro troféus, sendo dois Masters 1000 e dois torneios de nível ATP 500. Ele ainda conquistou outros dois títulos, sendo um deles o maior de sua carreira, em Roland Garros, seu primeiro Grand Slam. Com estes troféus, obtidos com seis parceiros diferentes, Melo ascendeu ao topo do ranking.

Tudo o que sabemos sobre:
tênisATP FinalsMarcelo Melo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.