Elsa/AFP
Elsa/AFP

Melo e Kubot eliminam algozes de Soares e vão à final do US Open

Brasileiro e polonês eliminaram Radu Albot, da Moldávia, e Malek Jaziri, da Tunísia, por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/3), 3/6 e 6/3

Estadão Conteúdo

06 Setembro 2018 | 16h38

Marcelo Melo garantiu nesta quinta-feira vaga em sua quarta final de Grand Slam. O brasileiro e o polonês Lukasz Kubot eliminaram Radu Albot, da Moldávia, e Malek Jaziri, da Tunísia, pelo placar de 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/3), 3/6 e 6/3, em 2h46min de confronto.

Com o triunfo, Melo vai tentar conquistar seu terceiro título de Grand Slam na carreira. Ele foi campeão em Wimbledon no ano passado e também levantou o troféu de Roland Garros em 2015. Ele ainda foi vice-campeão do Grand Slam inglês em 2013.

Para chegar a mais uma decisão deste nível, Melo precisou eliminar os algozes do compatriota Bruno Soares e do escocês Jamie Murray, nas quartas de final. Com o triunfo sobre os rivais desta quinta, que eram "alternates" na chave, Melo disputará sua primeira final do US Open. Até então, ele nunca havia passado das semifinais, em 2013 e 2014.

O jogo está marcado para as 13 horas desta sexta-feira (horário de Brasília). Os rivais de Melo e Kubot serão os americanos Mike Bryan e Jack Sock, atuais campeões de Wimbledon, que venceram os colombianos  Juan Sebastian Cabal e Robert Farah por 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 6/7 (1/7) e 6/4, em 2 horas e 15 minutos.

Cabeças de chave número sete, Melo e Kubot fizeram um duelo equilibrado contra Albot e Jaziri no set inicial, sem quebras de saque. Cada dupla desperdiçou três break points. E, no tie-break, a parceria do brasileiro fez valer a maior experiência em eventos deste nível.

Na segunda parcial, Melo e Kubot caíram de rendimento. Sofreram duas quebras de saque, faturaram apenas uma e acabaram cedendo o empate aos adversários. Depois do susto, brasileiro e polonês voltaram a dominar o jogo. Obtiveram uma quebra, em quatro oportunidades, enquanto os adversários sequer conseguiram ameaçar os saques dos favoritos.

Com a vitória e a vaga na final, o tenista do Brasil já garantiu ao menos uma boa subida no ranking da ATP. Atual 14º do mundo, ele deve aparecer ao menos na quinta colocação na lista a ser atualizada na próxima segunda-feira.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.