Divulgação
Divulgação

Melo e Soares espantam zebra e colocam Brasil na frente na Davis

Dupla brasileira derrota equatorianos por 3 sets a 1 em Belo Horizonte

Nathalia Garcia, enviada especial a Belo Horizonte, O Estado de S. Paulo

16 de julho de 2016 | 16h53

Depois de um susto no primeiro set, os brasileiros Marcelo Melo e Bruno Soares confirmaram o favoritismo diante dos equatorianos Emilio Gomez e Roberto Quiroz e ganharam por 3 sets a 1, com parciais de 6/7 (4/7), 6/3, 6/3 e 6/2, neste sábado, em Belo Horizonte. O triunfo coloca o Brasil em vantagem contra o Equador por 2 a 1 no Zonal Americano I, equivalente à segunda divisão da Copa Davis.

A dupla mineira deixou o adversário nivelar a partida na etapa inicial, decidida no tie-break. Sem perder o foco, entrou em quadra no set seguinte determinada a buscar o resultado e passou a dominar Gomez e Quiroz. Os tenistas do Equador não quebraram o saque dos brasileiros sequer uma vez na partida. A superioridade de Melo e Soares correspondeu ao tênis apresentado por eles da segunda parcial até o último ponto.

O confronto entre os países será decidido neste domingo, a partir do meio-dia. Em caso de vitória de Thomaz Bellucci sobre Emilio Gomez, o Brasil fecha a série em 3 a 1. Por outro lado, o Equador tentará levar a disputa até o último duelo. Nesse caso, o vencedor será determinado pelo jogo entre Rogério Dutra Silva e Roberto Quiroz. A escalação dos jogadores pode ser alterada até uma hora antes da partida. A equipe que se der melhor terá a chance de disputar a repescagem do Grupo Mundial, em setembro.

O retrospecto da dupla na Davis é um alento para a equipe brasileira. Considerando o resultado da partida deste sábado, Marcelo acumula 14 vitórias e apenas três derrotas – contra a Croácia (2015), Índia (2010), ambas ao lado de Bruno, e Equador (2009), em parceria com André Sá. O tenista de 32 anos é convocado regularmente desde 2008.

Os números de Bruno são semelhantes: 14 triunfos e dois tropeços. A primeira participação do jogador com a camisa do Brasil ocorreu em março de 2005, contra a Colômbia, em Bogotá. Na ocasião, jogou simples e duplas – também com Sá. Foi convocado novamente em 2010 e é nome certo na equipe desde então.

No primeiro dia de duelos da Davis, Thomaz Bellucci superou Roberto Quiroz por 3 sets a 1 - com parciais de 7/5, 7/6 (7/3), 3/6 e 6/3 – em quase três horas de jogo. O resultado deixou Brasil e Equador empatados depois da queda de Rogerinho diante de Emilio Gomez, de virada, por 3 a 1 (6/4, 5/7, 0/6 e 4/6), na estreia. Com a vitória da dupla, o País se coloca pela primeira vez em vantagem.

O JOGO

Os tenistas entraram em quadra com a responsabilidade de dar vantagem para suas equipes. Assim, o jogo em Belo Horizonte começou nivelado. A primeira boa chance dos brasileiros veio no quarto game, mas Melo e Soares desperdiçaram. A situação se inverteu no sétimo game, quando os equatorianos abriram 40/0. Marcelo, no saque, e Bruno, na rede, evitaram a quebra do serviço.

A torcida se manifestou com mais veemência quando o marcador apontava 6/5 para os donos da casa e Gomez foi para o saque. O primeiro set, entretanto, foi decidido no tie-break. Uma dupla falta de Bruno complicou a situação, e os equatorianos fecharam após 50 minutos de jogo por 7/6 (7/4).

A dupla brasileira voltou para o segundo set com a cabeça erguida. No terceiro game, veio a primeira quebra a favor de Melo e Soares. Em seguida, os mineiros confirmaram o serviço e abriram 3/1. Não diminuíram o ritmo e continuaram ameaçando o saque do adversário. Com uma bela jogada de Bruno no fundo da quadra, construíram o placar e fecharam o segundo set por 6/3.

O domínio da partida continuou na mão de Melo e Soares no terceiro set. À vontade em quadra, os duplistas tiveram facilidade para garantir 3/0 no placar. A partir disso, foram levando o jogo de maneira confortável. No oitavo game, tiveram chances de quebrar o saque de Quiroz, sem sucesso. Administraram o duelo, fechando a terceira parcial por 6/3 novamente.

O quarto e derradeiro set começou da melhor maneira possível para os brasileiros, com uma quebra de serviço a favor de Melo e Soares. E não foi só uma vez que desestabilizaram os equatorianos. A dupla mineira continuou ditando o ritmo da partida até abrir 5/1. Gomez e Quiroz deram um último respiro até verem os donos da casa cravarem 6/2 e confirmarem a vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.