Melo, Soares e Demoliner vencem e Brasil inicia duplas em Wimbledon com 100%

Melo, Soares e Demoliner vencem e Brasil inicia duplas em Wimbledon com 100%

Duplistas levam a melhor em estreia na chave masculina do Grand Slam

Redação, Estadão Conteúdo

03 de julho de 2019 | 16h14

O tênis do Brasil começou a chave de duplas masculinas de Wimbledon, o terceiro Grand Slam da temporada, com 100% de aproveitamento. Os três representantes do País que entraram em quadra - os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares e o gaúcho Marcelo Demoliner - venceram e se classificaram à segunda rodada da competição disputada na grama, em Londres.

O primeiro a jogar foi justamente o principal cabeça de chave do torneio. Junto com seu habitual parceiro, o polonês Lukasz Kubot, Marcelo Melo teve trabalho para passar pela estreia. Os dois superaram a parceria formada pelo japonês Ben McLachlan e pelo alemão Jan-Lennard Struff por 3 sets a 1 - com parciais de 4/6, 6/3, 7/5 e 7/5, após 2 horas e 55 minutos.

Campeões em 2017, Melo e Kubot já conseguem repetir o desempenho do ano passado. Na segunda rodada, provavelmente nesta sexta-feira, enfrentarão os australianos Alex de Minaur e Matt Reid, que venceram os argentinos Andres Molteni e Federico Delbonis por 3 sets a 0, com um triplo 6/4.

Quarto melhor do mundo no ranking individual de duplas da ATP, Marcelo Melo ainda não conquistou títulos na temporada de 2019, embora já tenha disputado finais na grama de Halle, na Alemanha, e no piso duro de Indian Wells, nos Estados Unidos, ao lado de Kubot.

Com mais dificuldade que Melo, o conterrâneo Bruno Soares sofreu para ganhar na estreia. Com seu novo parceiro, o croata Mate Pavic, derrotou os holandeses Sander Arends e Matwe Middelkoop por 3 sets a 2 - com parciais de 4/6, 6/3, 6/2, 6/7 (5/7) e 6/3, após 2 horas e 48 minutos.

Os adversários da segunda rodada só serão conhecidos nesta quinta-feira. Eles sairão do confronto entre a dupla formada pelos sérvios Laslo Djere e Janko Tipsarevic contra a parceria formada pelo mexicano Santiago González e paquistanês Aisam-Ul-Haq Qureshi.

Sem qualquer problemas, por 3 sets a 0, Marcelo Demoliner e o indiano Divij Sharan encararam os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, campeões de Roland Garros, com as parciais de 7/5, 6/4 e 7/5. Agora enfrentarão os belgas Sander Gille e Joran Vliegen, que ganharam dos argentinos Guillermo Durán e Juan Ignacio Londero por 6/2, 7/6 (7/4), 4/6 e 6/2. Se passar, o gaúcho pode enfrentar Marcelo Melo nas oitavas de final.

FEMININO

Além dos três duplistas, o Brasil segue vivo na chave de simples feminina. Depois da vitória histórica sobre a espanhola Garbiñe Muguruza na estreia, Beatriz Haddad Maia busca mais uma façanha no Grand Slam londrino.

Nesta quinta-feira, a partir das 7 horas (de Brasília), a tenista número 1 do Brasil e 121.ª do mundo enfrenta a britânica Harriet Dart, 182.ª colocada do ranking da WTA, para tentar avançar à inédita terceira rodada de Wimbledon.

"Quero levar para a quadra amanhã (quinta-feira) a energia de tudo que aconteceu ontem (terça) contra a Muguruza, sempre confiante e feliz", afirmou Bia Haddad, que ao eliminar a espanhola, ex-número 1 do mundo e atual 27.ª colocada, conquistou uma de suas maiores vitórias na carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.