Mesmo com vitórias em São Paulo, Hocevar busca patrocínio

A idéia do tenista Ricardo Hocevar de estampar na camisa a mensagem ?sua marca poderia estar aqui?, por ora, não deu resultado. Mas segundo o autor do plano ?já está funcionando?. Afinal, ele ganhou espaço na mídia e conseguiu fazer alguns contatos.Hocevar vem uma família que tem o tênis no sangue, como ele mesmo definiu. Aos 21 anos e com o sonho de sucesso no tênis profissional, Ricardo está em busca de um patrocinador. ?Preciso viajar de 25 a 30 semanas por ano. Tenho de arcar com despesas de passagens aéreas, alimentação e estadia?, contou. ?O que ganho atualmente nos torneios mal dá para viver.?Na sua atual posição no ranking, por volta do número 300 da ATP, Hocevar costuma ganhar cerca de US$ 1 mil a US$ 1,5 mil por semana de competição. Essa premiação pode até alcançar os US$ 5 mil, mas para isso teria de ser campeão.?O meu plano para subir no ranking seria o de viajar com um treinador e não tenho atualmente condições financeiras para isso?, falou o jovem tenista. ?O ideal seria ter alguém ao meu lado e ter também um preparador físico.?No tênis, os jogadores são responsáveis por suas despesas. Por isso, a ATP incentiva a organização de torneios como o Aberto de São Paulo, que além da premiação de US$ 100 mil oferece também hospedagem aos classificados para a chave principal. Isso diminui o risco de prejuízos aos tenistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.