Miroslava: a dama de ferro de Federer

Por trás de todo grande homem está uma grande mulher. No caso de Roger Federer, gênio da raquete e com vocação para entrar para a história como o maior jogador de todos os tempos, literalmente esta grande mulher chama-se Miroslava Vravrinec, uma tenista do Leste Europeu, nascida em Bjonice, da Republica Eslovaquia, em 1 de abril de 1978, e que em sua carreira nunca conquistou um titulo importante, mas conquistou o coração do suíco número 1 do mundo. Hoje, Miroslava é odiada pelos suícos e pelos pais de Federer, Robert e Lynette. Tudo porque ela não só ganhou o coração do namorado, como tem o poder em todos os seus milionários negócios. Até mesmo patrocinadores reclamam. Afinal, pagam em media US$ 1 milhao por ano e sequer conseguem um telefone de contato com o jogador, um número de celular, um e-mail. Tudo tem de passar pelas mãos e o aval de Miroslava. A cada cinco telefonemas para a ex tenista, talvez um ou dois voltem com respostas, mas nem sempre muito agradaveis ou satisfatórias. Federer não se importa com as críticas e parece nem mesmo se importar com o fato de a namorada ter engoradado incontáveis quilos. Quando jogava tenis, pesava 59 quilos. Agora, só se pode fazer avaliações, pois ninguém tem coragem de perguntar. Nos vestiários, outros tenistas ironizam e dizem que o suíco precisa de uma namorada que também seja número 1. Nascido em Munchestein, um tranqüilo suburbio da Basiléia, Federer carrega a mesma caracteristica de sua cidade natal: a serenidade. Não é desses jogadores de quebrar raquetes, de xingar adversários, reclamar dos juízes. Assim, segundo as más linguas, transformou-se em presa fácil para Miroslava Vravrinec. Federer diz que está feliz.Conta que sua namorada faz tudo que ele gosta, cozinha, cuida de sua agenda e lhe deixa em paz para cuidar da rotina de treinos, jogos e torneios. Aliás, os comentários mais maldosos dão conta que Miroslava é tão agradável ao tenista que até come a mesma quantidade de comida, as mesmas calorias, só que não gasta tanto: resultado... Os dois se conheceram em Sydney, durante os Jogos Olímpicos de 2.000. Miroslava ainda jogava e defendia a equipe da Suíca, para onde se transferiu logo no início da carreira. E Federer é uma pessoa tão tranquila, serena que não joga a raquete no chão, nem mesmo pensa em trocar de namorada. Apesar de todas as criticas. MELHOR DE TODOS - A química de Federer e Miroslava parace ter seus bons fluídos, com certeza. Roger Federer não só conquistou o bicampeonato do US Open no domingo, como recebeu sinceros e entusiasmados elogios de André Agassi. "Ele (Federer) é o melhor jogador que já enfrentei", garantiu Agassi, que ao longo de sua carreira teve pela frente adversários do calibre de Pete Sampras, Jimmy Connors, Ivan Lend, Boris Becker, Stefan Edberg entre outros. "Tudo de bom que fiz na final, o Federer fez melhor. Até ganhar do Sampras era mais fácil. Afinal, nunca vi alguém vencer 23 finais consecutivas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.