Monaco quebra tabu e vence o Aberto de SP

Com apenas 19 anos, Juan Monaco quebrou um tabu e transformou-se no primeiro argentino a conquistar o título do Aberto de São Paulo, ao derrotar na final o chileno Adrian Garcia por 6/4 e 7/6 (7/4). Fez a festa que estaria preparada para um brasileiro, ao comprovar que o tênis de seu país tem muitos jogadores com garra e determinação. Recebeu como prêmio US$ 7,2 mil e ainda somou 60 pontos para o ranking mundial. Até mesmo o governador do Estado, Geraldo Alckmin assistiu a decisão no Parque Villa-Lobos.Pelo menos ex-tenistas e grandes empresários aproveitaram o belo domingo de sol e uma bonita quadra central para viver bons momentos. Cássio Motta lembrou a força de sua direita ao vencer o Pro-Am do torneio, jogando ao lado do presidente da Cobra, Graciano dos Santos, marcando 7/5, 2/6 e 10/5 no super-tiebreaker sobre Nelson Aerts e o presidente da IBM, Rogério Oliveira. Antes da festa acabar, André Sá ainda levantou o troféu de campeão de duplas, ao lado do paraguaio Ramon Delgado, ganhando na final de Franco Ferreiro e Marcelo Melo por 7/5 e 7/6 (7/5).Escândalo - Continua a controvérsia com a denúncia de doping no tenista Greg Rusedski, que responsabiliza a própria ATP pela contaminação em mais de 40 jogadores do circuito profissional. Em Sydney, onde estréia no ATP Tour local diante de Juan Ignacio Chela, o tenista confirmou todas as suas acusações, dizendo que as substâncias proibidas vieram de suplementos e eletrolíticos servidos pela ATP, mas disse que quer agora concentrar-se no tênis. Joga em Sydney e no Aberto da Austrália, a espera da suspensão. Pede agora que o assunto seja discutido e resolvido com seu advogado Mark Gay, para que possa jogar com tranqüilidade.Injustiça - A tenista francesa Amelie Mauresmo se sentiu injustiçada e punida com a decisão da WTA - a associação feminina - de designar a norte-americana Venus Williams como cabeça-de-chave número 3 do torneio, apesar dela estar ocupando atualmente a 11ª colocação no ranking. Venus está sem jogar desde a final de Wimbledon do ano passado e teria entrado como terceira cabeça-de-chave, no lugar de sua irmã Serena, ainda fora do circuito para tratamento de lesão no joelho. Mauresmo é a quarta do ranking e esperava subir uma posição na chave de Melbourne.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2004 | 15h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.