Salvatore Di Nolfi/ AP
Salvatore Di Nolfi/ AP

Monteiro, Wild e Laura Pigossi caem no quali de Roland Garros; Medvedev perde em Genebra

Boa notícia para o tênis brasileiro foi a primeira vitória de Ingrid Martins em torneio de nível WTA, no Marrocos

Redação, Estadão Conteúdo

17 de maio de 2022 | 19h18

Não foi o retorno que Daniil Medvedev esperava. O tenista russo foi superado logo em sua primeira partida no saibro na temporada 2022. Nesta terça-feira, o ex-número 1 do mundo foi batido pelo veterano francês Richard Gasquet por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 7/6 (7/5), em 1h30min de duelo, no Torneio de Genebra, na Suíça.

Medvedev fazia sua volta às quadras após quase dois meses de afastamento. Ele não competia desde o fim de março. No mês passado, ele passou por uma cirurgia de hérnia. Após a reabilitação física, fez seu retorno no ATP 250 de Genebra, um dos preparatórios para Roland Garros.

"Foi difícil. Eu não costumo jogar o meu melhor tênis no saibro. Eu preciso estar muito no clima (para ir bem na superfície), o que não foi o caso hoje", lamentou o atual número dois do mundo. "Acho que preciso de mais alguns dias de treino e estarei pronto para Roland Garros, porque fisicamente, mesmo agora, depois da partida, meu corpo está bem."

ROLAND GARROS

O Brasil contou com saldo negativo na rodada do qualifying de Roland Garros nesta terça-feira. Dos quatro tenistas que entraram em quadra, apenas Carolina Meligeni venceu. Thiago Monteiro, Thiago Wild e Laura Pigossi, medalhista de bronze nas duplas na Olimpíada de Tóquio, foram eliminados de forma precoce em Paris.

Carol obteve sua primeira vitória num torneio de Grand Slam. Até então, sua única partida neste nível havia sido no Aberto da Austrália deste ano, quando perdeu na rodada de abertura. Desta vez, ela assegurou lugar na segunda rodada ao vencer a jovem Victoria Jimenez Kasintseva, de Andorra, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/5. Tem apenas 16 anos, mas foi número 1 do mundo no juvenil.

Atual 203º do mundo, a sobrinha de Fernando Meligeni vai encarar agora a experiente americana Christina McHale, ex-Top 30 do ranking da WTA. Com a vitória desta terça, o Brasil será representado somente pela família Meligeni na segunda rodada do quali. Na segunda, Felipe Meligeni, irmão de Carol, venceu seu jogo de estreia.

Os demais representantes nacionais no quali caíram nesta terça, incluindo o experiente Thiago Monteiro. Curiosamente, ele e Wild foram eliminados por rivais americanos. Monteiro chegou a desperdiçar um match point antes de ser batido, de virada, por 3/6, 7/6 (7/5) e 7/6 (10/8), em um duelo de 3h03min de duração. Atual número 100 do mundo, o brasileiro não conseguiu a vaga direta na chave principal do Grand Slam francês e precisou disputar o quali, sem sucesso.

Thiago Wild, menos experiente, caiu diante de Bjorn Fratangelo também em três sets: 6/4, 4/6 e 6/2, em 2h18min de confronto. O brasileiro de 22 anos ocupa o 247º posto do ranking da ATP.

Em busca da vaga numa chave principal de Grand Slam pela primeira vez na carreira, Laura Pigossi foi derrotada pela alemã Nastasja Schunk por 2 a 1, com parciais de 7/5, 3/6 e 6/3. Apesar da derrota, a medalhista olímpica vem em grande fase na temporada, principalmente em jogos de simples.

PRIMEIRA VITÓRIA DA BRASILEIRA

No Marrocos, Ingrid Martins venceu nesta terça-feira sua primeira partida em nível WTA. Foi na chave de duplas do Torneio de Rabat. Ela e a britânica Emily Smith superaram as espanholas Irene Burillo e Yvonne Reimers na primeira rodada por 7/5 e 7/6 (13/11). A brasileira disputara outras competições da WTA em 2015, antes de entrar no tênis universitário americano, mas sem vitórias.

"Feliz de conquistar minha primeira vitória de um WTA. Feliz pela forma como lidei nos momentos difíceis e tensos. Foi um jogo muito bom, conseguimos ser agressivas, usar taticamente nossas armas. Estou animada para continuar a semana aqui, jogo após jogo", comemorou, após garantir vaga nas quartas de final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.