Mundo do tênis aprova decisão de Guga

Capitão da equipe brasileira na Copa Davis e parceiro de Gustavo Kuerten por muitos anos no circuito profissional, Fernando Meligeni revela que o rompimento de Guga com Larri Passos é uma decisão muito pessoal. Mas ele não aprova a idéia de um tenista ficar muito tempo sem treinador."Acho importante ter um técnico", disse Meligeni. "Às vezes, pode ser bom ficar um período sem ninguém, mas não por muito tempo. Depende muito de cada um. Veja o exemplo do Federer", explicou o ex-tenista, citando o exemplo do suíço número 1 do mundo, que ficou mais de 1 ano se treinador.Em sua carreira, Meligeni também passou por mudança de técnico. "Às vezes é preciso buscar outro tipo de motivação", contou. "No meu caso, sempre me dei muito bem com o Ricardo (Acioly), mas chegou uma hora em que achamos que não estava mais sendo produtivo."Meligeni também se disse surpreso com o anúncio do fim da parceria entre Guga e Larri. "Foi um time que deu certo. Basta ver o número de títulos conquistados", afirmou, sem se preocupar com o futuro do principal tenista do País. "O Guga é muito determinado, um exemplo de profissional e sabe o que fazer para voltar a vencer no circuito."Outras opiniões - Em Florianópolis, Carlos Alves, que foi o primeiro treinador de Guga, também parece estar bem tranqüilo com essa mudança na carreira do tenista. E ainda prevê um futuro vitorioso para ele."Sempre achei a opinião do técnico muito importante e fundamental na formação de um jogador", revelou Carlos Alves. "Mas o Guga já está com 28 anos, está numa época em que precisa mais de um apoio logístico, um sparring, um técnico que lhe dê mais liberdade e não alguém que fique policiando seus atos." No Rio, Thomas Koch, um dos maiores nomes do tênis nacional, disse que em toda sua carreira jamais teve um técnico, pois não era comum em sua época. Mas concluiu dizendo que Guga não teria alcançado todo o sucesso que teve sem que Larri Passos estivesse ao seu lado."Acho até que esta separação pode ser boa agora para o Guga, pois está mais maduro e pode jogar mais solto", avisou Thomas Koch.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.