Mundo do tênis reverencia Federer

Venus Williams, com a cobiçada "saladeira", e Roger Federer, com o tradicional troféu, vestiram-se de gala para o jantar dos campeões em Wimbledon. Os dois estiveram juntos para muitas fotos e conversas descontraídas sobre o torneio. Só que na hora dos elogios, o tenista suíço parecia ser o único campeão. O mundo do tênis fez reverência ao seu rei, com grandes astros do passado colocando o suíço no topo das expectativas. O comentário mais expressivo veio de John McEnroe, sempre irreverente e inteligente. "Vocês podem pensar que estou brincando, mas o Federer é o tenista mais talentoso que já vi jogar." Um elogio desses vindo de um nome como McEnroe é de despertar todas as atenções. E os números mostram que a possibilidade de Roger Federer transformar-se num dos maiores de todos os tempos é grande, como mostra uma lista divulgada ontem pela ATP, com os jogadores que ganharam cinco títulos do Grand Slam, com menos de 24 anos: o sueco Bjorn Borg é o mais novo a alcançar essa façanha, com apenas 22 anos; Boris Becker vem a seguir, com 23 e dois meses, seguido de Mats Wilander, com 23 e cinco meses, enquanto Federer com 23 e dez meses iguala-se a Pete Sampras. O detalhe é que Sampras venceu seu último dos sete títulos de Wimbledon com 29 anos. O suíço vai completar 24 em agosto.Entre manchetes festivas dos jornais ingleses, o alemão Boris Becker revelou-se um fã do tenista suíço. "É inacreditavel como jogou a final diante de Roddick. É mesmo incrível que melhorou ainda mais seu tênis de um ano para outro", entusiasmou-se o também ex-tricampeão de Wimbledon. O norte-americano Jimmy Connors, dono de oito troféus de Grand Slam, saiu em defesa de seu compatriota Andy Roddick. "O Federer está um nível acima dos outros. Por isso, Roddick fez um belo torneio e ainda assim não conquistou o título". O ex-tenista inglês John Lloyd também fez um comentário bastante curioso. "Todos nós já tivemos momentos mágicos numa partida. Acontece que com Federer estes momentos duram o jogo todo." No Brasil, o ex-tenista e comentarista de TV, Dácio Campos, não hesitou em dizer que o tricampeão de Wimbledon está mais perto de ganhar um título em Roland Garros - único Grand Slam que falta em seu curriculo - do que esteve, por exemplo, Pete Sampras. "Federer é um jogador completo." De volta a sua cidade, Basiléia, Federer desistiu de jogar o torneio de Gstaad, como fez nos últimos dois anos. Está tranqüilo, com mais um título, disparou na liderança do ranking e não sofre qualquer ameaça até a disputa do US Open, em agosto. No feminino, Venus Williams voltou a figurar entre as dez primeiras, colocando-se na 8.ª posição. A liderança ainda está tranqüila nas mãos de Lindsay Davenporte, com mais de mil pontos de vantagem sobre a russa Maria Sharapova.Entre os brasileiro, Ricardo Mello, mesmo com campanhas ruins, assumiu a melhor posição de sua carreira, na 52.ª colocação, seguido de Flávio Saretta, em 118, André Sá, 163, e Gustavo Kuerten 214.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.