Murray bate Simon e garante Grã-Bretanha na semi da Davis; Austrália vira

Andy Murray ajudou a equipe britânica a superar um jejum de 34 anos neste domingo. O número três do mundo venceu um duro jogo contra Gilles Simon e fechou a série melhor-de-cinco partidas contra a França por 3 a 1, assegurando os britânicos na semifinal do Grupo Mundial da Copa Davis, o que não acontecia desde 1981.

Estadão Conteúdo

19 de julho de 2015 | 15h32

Na grama de Queen''s, em Londres, Murray derrotou Simon de virada, pelo placar de 4/6, 7/6 (7/5), 6/3 e 6/0. O tenista da casa esteve muito perto de ver o francês abrir 2 sets a 0 na partida. Mas reagiu no momento certo, no tie-break da segunda parcial, e iniciou a reviravolta no placar, culminando no "pneu" do quarto set.

Murray foi decisivo neste confronto por participar das três vitórias da série. Na sexta-feira, ele venceu Jo-Wilfried Tsonga por 3 a 0 e, no sábado, bateu o mesmo Tsonga e Nicolas Mahut, por 3 a 1, jogando ao lado do irmão Jamie Murray. O único triunfo francês foi de Simon sobre James Ward, por 3 a 0.

Sem levantar um troféu da Davis desde 1936, a equipe britânica vai enfrentar na semifinal a Austrália, que surpreendeu neste domingo. Liderados pelo veterano Lleyton Hewitt, os australianos buscaram grande virada sobre o Casaquistão. Após levarem 2 a 0, eles venceram os três jogos seguintes e fecharam o confronto por 3 a 2.

Jogando na grama da cidade australiana de Darwin, Hewitt e Samuel Groth iniciaram a reação dos anfitriões no sábado, batendo Andrey Golubev e Aleksandr Nedovyesov por 3 a 0. Neste domingo, a equipe da casa decidiu apostar nos mais experientes, depois que Nick Kyrgios e Thanasi Kokkinakis falharam no primeiro dia de disputas, na sexta.

Groth, então, bateu Mikhail Kukushkin por 6/3, 7/6 (8/6), 4/6 e 7/6 (8/6). Na sequência, Hewitt venceu Nedovyesov por 7/6 (7/2), 6/2 e 6/3 e correu para a festa com os companheiros e a torcida.

Os outros dois confrontos das quartas de final foram encerrados neste domingo, após serem definidos já no sábado. A Argentina, que fez 3 a 0 na sexta e no sábado, fechou o confronto por 4 a 1 neste domingo.

A Sérvia, sem o número 1 do mundo, Novak Djokovic, marcou seu ponto de honra na série com Dusan Lajovic. Ele bateu Diego Schwartzman por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4, no saibro de Tecnopolis, em Buenos Aires. Na sequência, Carlos Berloq levou o quinto jogo quando Filip Kranjovic desistiu no segundo set. O tenista da casa liderava o placar por 6/1 e 3/0.

Os argentinos vão enfrentar na semifinal os belgas, que aplicaram 5 a 0 no Canadá. Jogando em casa, também no saibro, a Bélgica venceu os dois jogos restantes neste domingo, com Kimmer Coppejans e Steve Darcis. O primeiro derrotou Frank Dancevic por 2/6, 6/2 e 6/3. Darcis, por sua vez, desbancou Filip Peliwo, por 6/4 e 6/3.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.