Leon Neal/AFP
Leon Neal/AFP

Murray desafia azarão Raonic para levar o bi em Wimbledon

Escocês disputa terceira final do Grand Slam londrino e aposta na experiência; canadense quer surpreender

O ESTADO DE S.PAULO

09 de julho de 2016 | 17h01

Com o apoio da torcida, o britânico Andy Murray enfrentará o canadense Milos Raonic neste domingo, a partir das 10 horas (de Brasília), pelo título em Wimbledon. “Jogar na frente de uma multidão em casa em uma final de Grand Slam é muito raro. Não são muitos jogadores que têm a oportunidade de fazer isso”, exalta o escocês.

Em sua terceira final no All England Club, o tenista número 2 do mundo busca o bicampeonato na sagrada grama inglesa. No retrospecto, Murray sagrou-se campeão em 2013, quando superou Novak Djokovic, e foi derrotado por Roger Federer no ano anterior.

O escocês também foi finalista dos dois primeiros Grand Slams da temporada, mas teve o líder do ranking da ATP como carrasco no Aberto da Austrália e em Roland Garros. Com a eliminação precoce de Djokovic para Sam Querrey, dos Estados Unidos, ele espera ter melhor sorte desta vez. 

Será a 11.ª decisão de Murray em torneios do Grand Slam. E o britânico tem um histórico bastante negativo, foi campeão apenas duas vezes – além da edição de 2013 de Wimbledon, venceu o US Open em 2012. 

Já Milos Raonic disputará a sua primeira final em um dos quatro principais torneios do circuito mundial de tênis. Aos 25 anos, o canadense ainda não havia ultrapassado a barreira da semifinal, fase alcançada em Wimbledon-2014 e Aberto da Austrália-2016. 

E ele projeta uma disputa acirrada na decisão, que pode impulsioná-lo no ranking. “Andy é um dos maiores batalhadores do circuito e ele tenta usar diferentes coisas para te incomodar, ele varia entre bolas mais lentas e bolas mais rápidas. Meu objetivo é escapar disso, colocar o meu jogo e ser agressivo, sem hesitar.”

Na semifinal, o tenista número 7 do mundo acabou com o sonho de Roger Federer depois de uma apertada vitória em cinco sets. O veterano lutava para se tornar o maior campeão da história de Wimbledon. Com sete troféus, Federer está empatado com Pete Sampras. Mas a história tomou outro rumo, e Raonic pode ter a honra de ser o primeiro canadense a conquistar um Grand Slam.

Na preparação para Wimbledon, Murray bateu Raonic na decisão do Torneio de Queen’s. No confronto direto, o tenista vice-líder do ranking também está em vantagem: 6 a 3.

Tudo o que sabemos sobre:
WimbledonAndy MurrayTênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.