Gerry Penner/EFE
Gerry Penner/EFE

Murray é campeão de Wimbledon e quebra tabu britânico

LONDRES - O escocês Andy Murray conquistou neste domingo o seu primeiro título de Wimbledon ao derrotar na decisão o sérvio Novak Djokovic por 3 sets a 0, com parciais de 6/4, 7/5 e 6/4, em 3 horas e 9 minutos, na partida disputada na quadra central do All England Club, em Londres. Assim, ele foi ovacionado pela torcida britânica, que enfim comemorou a conquista de um dos seus tenistas em casa.

AE, Agência Estado

07 de julho de 2013 | 13h49

Com essa vitória, Murray, que está em segundo lugar no ranking da ATP, encerrou um jejum de 77 anos da Grã-Bretanha sem vencer a chave masculina do Grand Slam londrino, disputado em quadras de grama. O escocês de Dunblane acabou com essa impressionante sequência negativa dos donos da casa, que vigorava desde 1936, quando Fred Perry foi campeão ao vencer o alemão Gottfried von Cramm.

O título deste domingo é o segundo de um torneio do Grand Slam conquistado por Murray, que no ano passado foi campeão do US Open ao também vencer Djokovic, líder do ranking da ATP, na decisão. Agora, o britânico, que foi vice-campeão de Wimbledon em 2012 ao perder na decisão para o suíço Roger Federer, passa a acumular 28 títulos na sua carreira. Já Djokovic, que foi campeão em Londres em 2011, permanece com seis troféus de torneios do Grand Slam, agora em 11 finais.

Para faturar o título de Wimbledon, Murray precisou superar o retrospecto negativo diante de Djokovic, que lidera o confronto direto por 11 a 8. Além disso, o sérvio havia vencido os três duelos anteriores contra o britânico, incluindo a decisão do Aberto da Austrália deste ano.

O JOGO

No primeiro set, ambos os finalistas tiveram dificuldades para confirmar os seus serviços. Murray conseguiu duas quebras de saque, no terceiro e sétimo games, e perdeu o seu no quarto. No oitavo game, Djokovic teve três break points, mas Murray salvou todos. Assim, o britânico fez 5/3 e, posteriormente, acabou vencendo por 6/4.

Os tenistas voltaram a ter dificuldades no saque no segundo set. Djokovic conseguiu uma quebra de serviço no quarto game e chegou a abrir 4/1, mas permitiu a reação de Murray. O britânico devolveu a quebra no sétimo game e conseguiu outra, decisiva, no 11º. Em seguida, confirmou o seu saque e fechou a parcial em 7/5.

Murray largou bem no terceiro set, com uma quebra de serviço logo no primeiro game. Djokovic, no entanto, conseguiu duas quebras de saque seguidas, no quarto e sexto games, para abrir 4/2. Depois disso, porém, foi a vez do britânico reagir e converter break points no sétimo e nono games.

Assim, Murray abriu 5/4 e foi para o saque. O número 2 do mundo, então, desperdiçou chances de fechar a partida, permitiu que Djokovic tivesse chances de quebrar o seu serviço, mas acabou triunfando no game, no seu quarto match point, após um erro de Djokovic, para acabar com a longa espera da Grã-Bretanha para ver um dos seus tenistas ser campeão em casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.