Murray e Li vencem em dia de tristeza no Aberto da França

Andy Murray derrotou um tenista francês sem dificuldade e a chinesa Li Na também avançou para a segunda rodada em um dia de céu escuro e lágrimas no Aberto da França, nesta terça-feira.

MARK MEADOWS, REUTERS

24 de maio de 2011 | 11h07

O britânico Murray, quarto cabeça-de-chave, venceu por 6-4, 6-1 e 6-3, mas teve seu serviço quebrado duas vezes por Eric Prodon, que participou de apenas três Grand Slams antes, todos em Roland Garros.

Li, sexta cabeça-de-chave do torneio feminino, que como Murray foi vice-campeã do Aberto da Austrália em janeiro, começou com uma vitória nada impressionante de 6-3, 6-7 e 6-3 contra a tcheca Barbora Zahlavova Strycova, enquanto a torcida parecia pouco animada após uma segunda-feira agitada e ensolarada.

Em contraste, a russa Maria Sharapova, vestida de amarelo radiante, atropelou Mirjana Lucic por 6-3 e 6-0, para seguir adiante na competição com sua boa forma física.

Filas nas entradas para as famosas quadras no oeste de Paris aumentaram à medida que o sol esquentava e se aproximava a hora da partida de estreia do atual campeão, Rafael Nadal, contra John Isner.

O espanhol está buscando seu sexto título em sete anos em Roland Garros, mas o sérvio Novak Djokovic, que venceu facilmente sua primeira partida em Paris, ameaça o domínio de Nadal após uma impressionante série de vitórias consecutivas nesta temporada.

O norte-americano Isner é mais conhecido por sua épica disputa de 11 horas contra Nicolas Mahut em Wimbledon no ano passado, mas Nadal deve vencer o adversário em uma fração desse tempo.

A emoção tomou conta da quadra Philippe Chartrier quando a francesa Virginie Razzano, cujo técnico e noivo morreu há oito dias por conta de um tumor no cérebro, perdeu o jogo contra Jarmila Gajdosova por 6-3 e 6-1, recebendo aplausos afetuosos e sinceros.

"Tive muita emoção e dor", disse ela, às lágrimas.

Murray não precisou jogar seu melhor para derrotar Prodon, que quebrou o serviço do escocês no primeiro set com uma deixadinha depois de uma série de tentativas mal-sucedidas.

Murray encontrou um ritmo melhor no segundo set, mas teve seu serviço quebrado novamente na terceira parcial, quando os voleios e saques despreocupados, mas às vezes eficazes de Prodon, conseguiram surpreender a torcida.

Tudo o que sabemos sobre:
TENISFRANCAMURRAY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.